terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Já é carnaval! Veja a programação dos blocos de rua na Grande Vitória

Em Movimento, 4, foi conferir um bloco que une folia e bicicleta na capital. Confira a reportagem e programe-se com as próximas datas

EST
Bloco Magrelas Voadoras: bicicletas ganharam a Praia de Camburi, em Vitória (Foto: Divulgação/ TV Gazeta ES)Bloco Magrelas Voadoras: bicicletas ganharam a Praia de Camburi, em Vitória (Foto: Divulgação/ TV Gazeta ES)
Fevereiro chegou! O mês oficial do carnaval já está aí e se você curte uma boa folia, prepare-se, porque já é hora de botar o bloco na rua. É claro que o Em Movimento não perdeu tempo e a Aline Alves foi conferir de perto o bloco Magrelas Voadoras, que percorreu a orla da Praia de Camburi, em Vitória, de bicicleta.
Confira a reportagem:
Esse é só o começo da festa! Durante os meses de fevereiro e março a agenda está recheada. E se você tiver dica de algum bloco bem bacana, avisa a gente, tá bom? É só usar a hashtag #emmovimento, nossas redes sociais ou mandar o recado pelo aplicativo da TV Gazeta ES (Android e iOS).
Veja a programação:
Sábado, 4 de fevereiro
- Resenha, no Parque da Prainha (Vila Velha): 17h
- Esquenta do Galão, na Rua 04 em Santa Mônica (Vila Velha): 13h
Sexta-feira, 10 de fevereiro
- As Piranhas do Jegue, em Bela Aurora (Cariacica): 17h às 23h
Sábado, 11 de fevereiro
- Kustelão, em Jardim Camburi (Vitória): 13h30 às 19h
- Vai Pescar e Leva Minha Vara, na Praia do Suá (Vitória): 14h às 19h
- Galão, no bairro Praia das Gaivotas (Vila Velha): 15h
- Galinights, no bairro Santa Leopoldina (Vila Velha), às 15h
- Jacaré do Papo Rosa, na Glória (Vila Velha): 16h
- Em Cima da Hora, em Itanguá (Cariacica): 18h às 23h
- Vem Pra Vila Oásis, em Vila Oásis (Cariacica): 18h às 23h
- Carnaflexal, em Flexal (Cariacica): 18h às 23h
Domingo, 12 de fevereiro
- Tô Bebo de Alegria, em Jardim da Penha (Vitória): 10h às 15h
- Papel Velho, na Rua Iriri em Coqueiral de Itaparica: 13h
- Vai Quem Quer, em Itanguá (Cariacica): 16h às 22h
- Eu Acho Graça, em Jardim América (Cariacica): 15h às 21h
Sábado, 18 de fevereiro
- Chamichuga, na rua Aguiar Lemos, em Vista da Penha (Vila Velha): 16h
- Bloquinho das Castanheiras, na Praia da Costa (Vila Velha): 15h
- Carnacristo, em Itacibá (Cariacica): 18h30 às 23h
- Seu Boneco, em Santa Luzia (Cariacica): 18h às 23h
- Bloco das Piranhas, em Vera Cruz (Cariacica): 17h às 22h
Domingo, 19 de fevereiro
- 14 Bis, na quadra do bairro Santos Dumont (Vila Velha): 15h
- Carnavalesco do Limão, em Santa Paula II (Vila Velha): 17h
- Carnacolo, em Jardim Colorado (Vila Velha): 14h
- Piranhas, em Jardim Campo Grande (Cariacica): 15h às 21h
- Bloco das Primas, em Rosa da Penha (Cariacica): 15h às 21h
Quinta-feira, 23 de fevereiro
- Bloquete Nós, Eva e Adão, na Praça Ubaldo Ramalhete, Centro (Vitória): 16h
Sexta-feira, 24 de fevereiro
- Amantes da Vila, Praça Duque de Caxias, no Centro (Vila Velha): 19h
- Carnafolia 100 Nome, em Itacibá (Cariacica): 19h
Domingo, 26 de fevereiro
- Saco Roxo, em Coqueiral de Itaparica (Vila Velha): 17h
Terça, 28 de fevereiro
- Amigos da Onça, na Rua Barão de Monjardim, Centro (Vitória): 15h
- Saco Roxo, em Coqueiral de Itaparica (Vila Velha): 17h
- Lambe Sal, em Nova Brasília (Cariacica): 16h às 21h
Sábado, 4 de março
- Apaixonados pelo Triângulo, na Praia do Canto (Vitória): 16h às 19h
- Só BB, Vila Graúna (Cariacica): 19h
- Sóh Dá Nóis, em Vista Mar (Cariacica): 14h30
Sábado, 11 de março
- Tá Lelé, Tá Maluco, no bairro Padre Gabriel (Cariacica): 15h às 20h
Domingo, 12 de março
- Pindura Aí, em Santos Dumont (Vitória): 12h às 19h
- Tamo Junto e Misturado, bairro Expedito (Cariacica): 15h às 20h
Fonte: http://gshow.globo.com/TV-Gazeta-ES/Em-Movimento/Extras-Em-Movimento/noticia/2017/02/ja-e-carnaval-veja-programacao-dos-blocos-de-rua-na-grande-vitoria.html

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Exposição de Madre Teresa de Calcutá chega a Vitória

A cerimônia de abertura terá início às 16 horas desta sexta-feira (3) e será presidida pelo arcebispo Dom Luiz Mancilha Vilela

Madre Teresa de Calcutá
Madre Teresa de Calcutá
Foto:Divulgação/Internet
Via Gazetaonline
A partir desta sexta-feira (3), o Shopping Vitória receberá a exposição “Madre Teresa de Calcutá – Vida, Mensagem e Espiritualidade”. A mostra que conta a história da missionária, canonizada em setembro de 2016 após ter um milagre concedido a um brasileiro reconhecido pelo Vaticano, ficará em cartaz até o dia 31 de março, com funcionamento de segunda à sábado, das 10 às 22h; e aos domingos e feriados, das 15 às 21h. A cerimônia de abertura terá início às 16 horas e será presidida pelo arcebispo Dom Luiz Mancilha Vilela.
Trata-se de uma exposição oficial, organizada pelas Missionárias da Caridade, com passagens por diversas capitais e demais cidades brasileiras, como Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Santos, Salvador e Aracaju, além de excursões pelo exterior com escalas em Roma, na Itália, além de Espanha, Polônia, México e Estados Unidos.
Quem for ao shopping vai conhecer o exemplo de amor e total entrega da Madre a Deus. Os visitantes poderão ver diversos materiais informativos, como 56 painéis com fotos e textos em português e espanhol, 28 banners só de fotos, relíquias (hábito e 'sari'), como também conferir a réplica do quarto da Madre Teresa, um pequeno oratório e os painéis de visitas da Madre ao Brasil e outros com fotos ao lado do Papa São João Paulo II, que faleceu em 2005.
No local ainda estará disponível um documentário sobre o legado da agora santa.
Milagre com brasileiro
De acordo com informações, a cura do brasileiro Marcilio Haddad Andrino, que tinha múltiplos pontos de inflamação no cérebro, fez a Igreja decidir pela canonização de Madre Teresa de Calcutá. O milagre foi atribuído a ela em 2015. Ele sofria de abscessos cerebrais em 2008, dos quais médicos disseram que não iria se recuperar, levando sua família a rezar para Madre.
Após o pedido de intercessão à missionária Madre Teresa de Calcutá, Marcilio Haddad se viu curado pouco antes de uma operação marcada pelos médicos, quando foi informado pela equipe médica que não seria mais necessária uma cirurgia.
Quem é Madre Teresa?
Conhecida como a “santa da sarjeta”, por sua dedicação aos mais necessitados, Madre Teresa de Calcutá é natural de Skopje, na Macedônia. No entanto, era considerada por muitos como indiana, devido aos trabalhos em Calcutá, na Índia.
Fundou a Congregação das Missionárias da Caridade, que tem como intuito viver a caridade diária. Em setembro de 1928, ela entrou para o Instituto da Beata Virgem Maria, conhecido como as “Irmãs do Loreto”, na Irlanda, onde recebeu o nome de Mary Teresa.
Ela chegou a Calcutá no dia 6 de janeiro de 1929, onde fez os votos temporários em maio de 1931. Também lecionou na escola para moças em Entally. Atualmente, a congregação fundada por Madre Teresa tem cerca de 4500 religiosas, em mais de 130 países.
Madre Teresa morreu em 1997 aos 87 anos. Foi beatificada pelo Papa João Paulo II no dia 19 de outubro de 2003, Dia Mundial das Missões. Foi canonizada no dia 4 de setembro de 2016, pelo Papa Francisco, em uma missa celebrada na praça de São Pedro, no Vaticano.
Serviço:
Exposição “Madre Teresa de Calcutá – Vida, Mensagem e Espiritualidade”
Quando: de 03/02 a 31/03
Onde: no 2º Piso do Shopping Vitória, próximo à Zara
Horário: de segunda à sábado, das 10 às 22h. Domingos e feriados, das 15 às 21h.
Entrada: franca


Fonte:  http://novo.gazetaonline.com.br/entretenimento/cultura/2017/02/exposicao-de-madre-teresa-de-calcuta-chega-a-vitoria-1014020228.html

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Praça do Papa ganha maior tanque para observar tartarugas no Estado - Gazetaonline

Quatro das cinco espécies de tartaruga que há no Brasil estarão no local
Crianças e adultos, visitantes ou moradores de Vitória, poderão observar, a partir des, espécies de tartarugas no que será o maior tanque para observação desses animais em todo o Estado.
Local tem 226 metros quadrados e capacidade para 112 mil litros
Local tem 226 metros quadrados e capacidade para 112 mil litros
Foto:Carlos Alberto Silva











O Projeto Tamar, em parceria com a Prefeitura de Vitória, abre oficialmente quinta o tanque com visores subaquáticos, na Praça do Papa, na Enseada do Suá.
Mesmo oficialmente ainda fechado, quem esteve ontem no Tamar conseguiu ver bem de perto o que estará amplamente exposto para a população a partir de amanhã.
Crianças de todos os tamanhos e idades corriam de um lado para o outro para conseguir ver as três tartarugas no local.
“Ele é fã. A gente vem umas quatro vezes por ano. Ele gosta de natureza, bicho, tartaruga. A gente estimula, mas ele por conta própria já gosta”, diz o engenheiro Bruno Coelho, 44, sobre o filho Leonardo, 3, um dos mais empolgados ontem no local.
Tanque
O tanque tem 226 metros quadrados e capacidade para armazenar 112 mil litros de água. No local, estão as espécies tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente e tartaruga-oliva.
“Das cinco espécies existentes no Brasil, quatro estão aqui”, ressalta o oceanógrafo Paulo Rodrigues, da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória (Semman). “A tartaruga-verde, por exemplo, você só encontra na Ilha de Trindade, em Fernando de Noronha e no Atol das Rocas.
Paulo Rodrigues explica que as tartarugas que estão no local foram criadas desde pequenas no tanque e que a ideia é recuperar as que são selvagens e devolvê-las ao mar.

Fonte: http://novo.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2017/01/praca-do-papa-ganha-maior-tanque-para-observar-tartarugas-no-estado-1014019686.html

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Maria Pitanga - Açaiteria

Eu já fui:
Um dia parei no semáforo da Praia do Canto e ao olhar para a minha esquerda, vejo uma logo lindaaa, em uma fachada lindaaa: “Maria Pitanga”. Olhei com mais calma, vi que tratava-se de uma açaiteria e eu adoro açaí, mas tem que ser self service, pois gosto muito dos complementos. E onde montam o açaí economizando complementos nem volto mais! Rs

Fiquei curiosa para conhecer a açaiteria, do lado de fora deu para ver que lá era self service, aliás temos poucas opções assim em Vitória. As poucas opções onde você monta seu próprio açaí são sorveterias, onde normalmente não há frutas 
como complementos!


Foto: Arquivo Maria Pitanga


Bom.. entrei em contato com o estabelecimento, fui recebida pelo Vitor, gerente do negócio, que pertence seus pais (Romário Mendes Vargas e Lana Mara Moreira Vargas) e um sócio.

Descobri que trata-se de uma franquia, o dono da rede é João Batista Ximenes, morador do Ceará, casado com Maria Rosana Ximenes, (que inspirou o nome do negócio). Como sou muito curiosa, soube e explico para vocês os detalhes do nome: acrescentaram aleatoriamente  "Pitanga" á Maria e combinou, nasceu assim o nome da marca, que encanta o público feminino, (público alvo), pelo fato das mulheres cuidarem mais da saúde. Porém na loja de Vitória o público masculino é maioria.

Confira a história completa do surgimento da rede:
 http://www.mariapitangaacaiteria.com.br/quem-somos/

Foto: Capixaba quer sair de casa

Este é meu açaí, com frutas e bastante complementos. Faltou a nutella, que futuramente poderá ser inserida nas opções de caldas!
Foto: Capixaba quer sair de casa


Opções de complementos e frutas frescas
Foto: Capixaba quer sair de casa


O estabelecimento funciona há seis meses, também com opções de cremes de frutas, sucos, sanduíches e bebidas. Mas o campeão de vendas é mesmo o açaí puro, que aliás leva mais fruta e pouquissímo xarope, possui 14% de polpa, esse é o diferencial do produto. O açaí é mais leve, tem consistência mais "molinha", por ser batido. É necessário bater todos os dias, para não formar cristais de gelo, outras marcas usam aditivos químicos para não cristalizar.

Essa semana chega o açaí diet, sem xarope!

O produto tem origem no Pará, a plantação é escolhida pessoalmente pelo proprietário da marca João Batista, que acompanha todas as etapas de produção para garantir a qualidade do produto.


Opção de cremes 
Foto: Capixaba quer sair de casa


Cardápio na parede, bem prático!
Foto: Capixaba quer sair de casa

A maioria dos clientes da loja são frequentadores das academias vizinhas, um público fitness, que fazem uma visitinha na açaiteria antes e depois do treino.
Os preços: do kilo é R$45,00 kg, que segundo Vitor é o menor da vizinhança. Em quantidades menores: 100g R$4,50, 300 ml R$13,50.

Vi um painel lindo da artista Simone Monteiro, não resisti a uma foto.
Foto: Capixaba quer sair de casa

Quadro na parede: 10 motivos para você consumir o açaí
Foto: Capixaba quer sair de casa
  
Se você preferir montam para você, depois pesam!
Foto: Capixaba quer sair de casa


Uma boa opção para aniversariantes


Agora você sabe onde comer um barco de açaí com os amigos.
Foto: Arquivo Maria Pitanga


Com bastante frutas
Foto: Capixaba quer sair de casa

Vitor com os funcionários
Foto: Capixaba quer sair de casa

Vitor 
Foto: Capixaba quer sair de casa

Vitor toma açaí todos os dias, gosta de trabalhar com o produto por ser uma sobremesa gelada, com menos conservantes e mais saudável que o sorvete. Avisa que esta chegando novidades na Maria Pitanga e convida capixaba e turistas a experimentarem um açaí mais saudável!

Abraço do blog para o Vitor, sua equipe, seus pais, o sócio e o casal proprietário da rede. Desejo ainda mais sucesso ao empreendimento!


Localização:
Rua  João da Cruz, 385
Praia do Canto – Vitoria – ESCEP: 29055-620

Próximo da ponte Ayrton Senna

Contato:

Horário de funcionamento:
·    13h as 23h30 semanalmente
·    13h as 22h30 sábados e domingos

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Vitória tem apenas seis locais liberados para o banho de mar

Capital tem, ao todo, 25 pontos para banho.
Praia de Camburi está completamente imprópria para banhistas.


O banho de mar nas praias de Vitória está liberado em apenas seis dos 25 pontos, segundo o relatório da balneabilidade divulgado nesta quinta-feira (18) pela prefeitura. O secretário Municipal de Meio Ambiente, Luiz Emanuel Zouain, disse que o banho está proibido em toda a praia de Camburi.
Atualmente, o banho de mar só está liberado nas praias da Ilha do Boi e alguns pontos da Curva da Jurema e da Ilha do Frade. 
"Nós pedimos aos moradores de Vitória que, por favor, não tomem banho nessas águas nesse momento. As pessoas podem ficar sujeitas a infecções gastrointestinais, doenças epiteliais, alergias, pois é isso que a medicina prescreve, sendo esse um ambiente totalmente desfavorável", disse o secretário.
Pontos liberados:
1. Ilha do Frade - Praia da Ilha do Frade
2. Ilha do Frade - 1ª Praia à direita
3. Praia de Sta. Helena - 200 m à esquerda das barracas da Curva
4. Praia de Sta. Helena - Em frente às barracas da Curva
5. Ilha do Boi - Praia Grande
6. Ilha do Boi - Praia da Direita

Pontos próprios e impróprios para banho (Foto: Arte/ TV Gazeta)
Estudo
O estudo de balneabilidade é realizado semanalmente pela Prefeitura de Vitória, e mede a qualidade da água através do nível de coliformes fecais na água, geralmente lançado no mar pelo esgoto. Áreas com os níveis acima do aceitável são classificadas como impróprias.


A Prefeitura da Serra afirma que a cidade tem trabalhado em parceria com a concessionária que realiza o tratamento do esgoto do município no sentido de notificar os moradores a realizar a ligação na rede coletora sob pena de multa. Onde não houver rede coletora o morador deve construir fossa séptica individual.A Praia de Camburi foi classificada como imprópria para banho. Camburi recebe uma grande carga de esgoto lançado pelo município de Serra e também é afetada pelo movimento das marés e por rejeitos advindos do Canal da Costa.


Fonte: http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2016/02/vitoria-tem-apenas-seis-locais-liberados-para-o-banho-de-mar.html

Praia Acessível muda de lugar após 'Curva' ficar imprópria para banho


Praia Acessível muda de lugar após 'Curva' ficar imprópria para banho

Novo ponto fica em frente ao Quiosque 2 na Praia de Camburi.
Projeto dá banho de mar em pessoas com limitação de mobilidade.

Do G1 ES










O projeto Praia Acessível, da Prefeitura de Vitória, vai passar a funcionar na Praia de Camburi depois que o ponto da Curva da Jurema ficou impróprio para o banho.
A mudança acontece, nesta quinta-feira (5), e o projeto vai funcionar, por enquanto, em frente ao Quiosque 2 de Camburi. Mas volta para a Curva assim que a balneabilidade for restabelecida.
Projeto 'Praia Acessível' ajuda quem tem mobilidade reduzida (Foto: Livia Albernaz/ PMV)
Projeto 'Praia Acessível' ajuda quem tem
mobilidade reduzida (Foto: Livia Albernaz/ PMV)
Na semana passada, a Justiça determinou que o programa fosse para outro lugar. A prefeitura tinha até 10 dias para fazer a mudança e a multa diária em caso de descumprimento era de R$ 5 mil.
Projeto
Esse projeto permite que pessoas que tenham alguma limitação de mobilidade tomem banho de mar.

O Praia Acessível tem três cadeiras que flutuam na água e não afundam na areia.
A equipe é formada por assistentes sociais, psicólogos e professores de Educação Física.
No verão, o Praia Acessível funciona de quinta-feira a domingo, das 8h às 13h.
Projeto Praia Acessível, em Vitória (Foto: Leonardo Silveira/PMV)Projeto Praia Acessível, em Vitória (Foto: Leonardo Silveira/PMV)
Fonte: http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2017/01/praia-acessivel-muda-de-lugar-apos-ponto-de-banho-ficar-improprio-no-es.html

domingo, 15 de janeiro de 2017

Acervo de Afetos: exposição voltada para crianças é inédita no Estado


A Galeria Homero Massena abre as comemorações dos 40 anos com uma nova abordagem em seu acervo. Pela primeira vez no Estado, o espaço faz uma curadoria pensada na primeira infância, que pretende levar as crianças e seus familiares para o museu, como uma forma de mostrar que a arte deve fazer parte do cotidiano. É a exposição “Acervo de afetos”, que começa no dia 1º de fevereiro, às 19h. A entrada é franca.
De acordo com a coordenadora de Artes Visuais da Galeria Homero Massena, kyria  Oliveira, a exposição traz um novo olhar para o acervo e enfatiza o aprendizado por meio da experiência, empregando a arte como uma ferramenta para estimular a imaginação das crianças com ações educativas. “Pensar em uma exposição cujo público seja criança é voltar para nós mesmos, para um tempo passado que constitui quem somos hoje. Permitir o acesso à arte é uma ação colaborativa na construção de uma educação que inspira habilidades criativas e analíticas para a aprendizagem ao longo da vida”, destaca.
A exposição ‘Acervo de Afetos’ vai buscar na arte naif as representações mais ingênuas para compor seu repertório e construir um primeiro diálogo com a criança por meio dos desenhos, cores e formas. “A arte naif como mote da exposição foi uma escolha natural, uma vez que as obras dos artistas, chamados de primitivistas, ingênuos ou instintivos, se identificam instantaneamente, ou intuitivamente, com a infância. Entre os traços e cores dos artistas Elpídio Malaquias Da Silva, Luiz Natal, Ângela Gomes, Nice e Rômulo Cardozo, somos convidados a imergir em um mundo encantado que nos permite sonhar”, enfatiza Kyria.

Conheça os artistas:
Elpídio Malaquias Da Silva
(Natural de Cariacica, ES – 1919-1999)
Pintor autodidata, se auto intitulava “o inventor da arte” ou “o rei do pavãozinho”, como gostava de ser reconhecido. Desenhava e pintava aves e outros bichos, santos e flores. No período de 1977 a 1983 realizou exposições individuais na Galeria Homero Massena e na Galeria de Arte e Pesquisa da UFES. Participou de várias coletivas, destacando-se na exposição itinerante da Galeria Homero Massena, que percorreu várias cidades do Espírito Santo.
Rômulo Cardozo
(Natural de Cachoeiro de Itapemirim, ES – 1948), pintor, ceramista, decorador.
Em 1970 concluiu a Habilitação em Técnicas Agrícolas, na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, na cidade de Belo Horizonte. Em 1979/1980 fez curso de Pesquisa Ornamental no Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Fez também o curso de Técnicas Pictóricas, com Fernando Baril, na UFES. Concluiu a Licenciatura em Educação Artística e Habilitação em Artes Plásticas no Centro de Artes da UFES, no ano de 1982. No mesmo ano, fez outro curso pela Universidade de aperfeiçoamento em Pintura e, em 1983, participou do curso de Desenho-Arte e Educação também pela UFES com Augusto Rodrigues. Participou da Primeira Semana de Arte promovida pela UFES (1983) como ministrante do curso Materiais e Técnicas de Utilização. Em 1989, (Salvador, BA) ministrou curso de extensão de Materiais e Técnicas de Utilização e Papel Machê na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia.
De temática Naif, Cardozo participou de várias coletivas e salões de arte. Premiado na Bienal Brasileira de Arte Naif em 1996, suas obras constam em acervos nacionais e internacionais.
Ângela Gomes
(Natural de Cachoeiro de Itapemirim, ES – 1953)
Ângela Gomes é referência na arte naif do Espírito Santo. Influenciada pela arte de Celina Rodrigues e Raquel Galena. Participou da exposição Coletiva, no Centro de Artes da Barra do Jucu, Vila Velha, em 1978; e na Galeria Homero Massena, Vitória, em 1980 e 1986. Em 1983, começou a desenvolver um trabalho com os portadores de distúrbios mentais internados na instituição Adolfo, que resultou na exposição Arte do Inconsciente. A artista retornou à pintura somente em 1986.  Já expôs em espaços como o Salão de Arte da cidade de Porto, em Portugal; o Museu de Arte Contemporânea de Campinas; o Museu Internacional de Arte Naif, no Rio de Janeiro; o Palácio Anchieta – ES; e ainda “IX Festival de Arte Naïf no Mundo”, na Polônia.

Luiz Natal
(Natural de Linhares, ES – 1953), reside atualmente no Distrito de Regência, no mesmo município.
Iniciou seus trabalhos na década de 1970, em Linhares, tendo os primeiros contatos com a pintura pela Artista Nice Nascimento. Participou de exposições coletivas em vários municípios do Espírito Santo, além de Maranhão (1º Salão Maranhense), Rio Grande do Sul (Casa da Cultura de Bagé – 1988), São Paulo (Bienal de Arte Naif em Piracicaba 1990, 92, 94 e 98). Em Vitória, teve seus trabalhos em mostras na galeria Homero Massena (1986 e 2001), na Galeria Levino Fanzeres (1987) e na Biblioteca Central da UFES.
Autodidata, Natal tem como temática o universo da cultura popular e cenas do cotidiano, com utilização de um colorido vigoroso e grande sensibilidade. Independente da temática, o mundo visto pelo artista traz sempre um compromisso com a ingenuidade do olhar de uma criança, sem deixar de lado uma visão crítica e até mesmo política do comportamento humano.“Trabalho com o que me vem à cabeça, independente da hora. Retrato a folia de reis, o congo, o mar, peixes, navios, tem até um pouco de religião”, destaca.

Nice (Nice Nascimento)
Natural de Vitória, ES – 1938-1999).
Pintora nascida no bairro Caratoíra, de origem humilde - mãe lavadeira e pai verdureiro -  iniciou seus estudos na Escola Alberto de Almeida, no mesmo bairro, onde morou até os nove anos. Em 1947, migrou com a família para São Paulo por um período de 10 anos. Nos anos 60, retornou a Vitória, onde trabalhou na Santa Casa de Misericórdia. Teve uma pequena quitanda, mas sonhava em ser cantora de rádio. Participou de programa de calouros, conseguindo posteriormente ter um contrato profissional como Cantora.
Em 1967 iniciou seus trabalhos em pintura, incentivada por um grupo de amigos, executando seus trabalhos nos momentos de folga. Sua temática na época foram fachadas, casarios, brincadeiras infantis e cenas do universo ao redor. Sua primeira exposição ocorreu em 1969, no Museu de Arte Moderna do Espírito Santo.
Com a mudança para Linhares, Nice se apropriou de sua temática mais conhecida – o cacau, seu cultivo e beneficiamento, tudo testemunhado pela artista na fazenda de propriedade da família, a Fazenda do Ouro.
Participou de exposições importantes no Espírito Santo e em outros Estados (Bahia, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Pará, Piauí) e também em Massachussets e Los Angeles, nos Estados Unidos; na cidade de Riviera, no Uruguai; no Setagawa Art Museum, em Tóquio, Japão; e Taipei Fine Arts Gallery, em Taipei, Taiwan.
As obras de Nice, além de fazerem parte do acervo da Galeria Homero Massena, estão também no Museu Nacional de belas Artes, Rio de Janeiro.

Serviço
Exposição: Acervo de afetos
Abertura: 01/02/2017
Horário: 19h
De 02 de fevereiro a 15 de abril de 2017
Segunda a sexta: 09 às 18 horas
Sábado: 13 às 18 horas.
Local: Galeria Homero Massena / Rua Pedro Palácios, 99 - Cidade Alta, Vitória.
Telefone: 3132.8395
Entrada franca.

Fonte: http://www.secult.es.gov.br/noticias/22799/acervo-de-afetos-exposicao-voltada-para-criancas-e-inedita-no-estado.html