quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Chega a Vitória no "Novo Triangulo" a boate que é a sensação na noite paulistana


Folha Vitória

Foto: Divulgação
 
Detentor da marca Royal Club, casa noturna que é sucesso há cinco anos em São Paulo, Marcus Buaiz parte para expansão no mercado nacional. A próxima a abrir as portas será a Royal Club Vitória, projeto que é a menina dos olhos de Buaiz por motivos óbvios.
Nascido e criado em terra capixaba e com raízes familiares no Estado, o empresário Marcus Buaiz nunca escondeu que queria a primeira filial de sua casa noturna de Sampa na terra natal, embora a primeira tenha sido aberta em Goiânia (GO).  
Vitória, porém, será a segunda cidade a receber uma filial da casa noturna, cujo sucesso é pautado pelo conforto, e pela criação de noites com perfis diferenciados voltados para o pop, hip hop e hip house, a nova febre nas pistas atuais.
 
A previsão de abertura da Royal é para final de março (há projetos para abertura da casa noturna também no Rio de Janeiro e em Brasília) com duas noites definidas: uma pista dançante voltada para o pop e outra uma pista conceito que é a novidade atual, pautada pelo hip house. Pelo menos duas vezes por mês a casa vai receber DJs e artistas convidados, nos moldes de São Paulo. Outra novidade que entrará na programação após a inauguração é a noite de pockets shows, com cantores de pegada pop.
 
A Royal Club de Vitória vai ocupar a o espaço onde funcionava a casa de show Spirito Jazz, no Via Cruzeiro Mall, na Praia do Canto, local que já vem sendo chamado de “Novo Triângulo”, pela presença de vários restaurantes como Don Camaleone, Soeta, Pinóchio, Taurus e Santinho, para citar alguns. A Royal estará inserida no local conhecido pelo novo perfil da noite capixaba.
 
A Royal Club Vitória terá 420 metros quadrados de área, com capacidade para 400 pessoas, seguindo os moldes do projeto da matriz, que foi assinada pelo arquiteto Felipe Crescente.  A estrutura e o serviço que garantiu o sucesso de São Paulo serão trazidos para Vitória. Aqui terão cinco camarotes com capacidade de 10 a 20 pessoas, quatro deles bem próximos à pista, área de bistrô e palco para DJ e artistas comandarem a noite. O grande glamour da Royal são os camarotes, que no projeto capixaba terá um na parte superior, instalado no mezanino, e quatro no térreo, bem próximos à pulsação da pista.
 
A Royal tem como gerenciador Anderson Soares, gestor de negócios de todo o grupo. Os parceiros capixabas são dois sócios investidores, o gerenciamento comercial que ficará por conta do empresário Paulo Henrique Miranda (do Sakê) e a parte operacional será do produtor Sildinho Spalenza.

Fonte: http://www.folhavitoria.com.br/entretenimento/noticia/2011/01/chega-a-vitoria-no-novo-triangulo-a-boate-que-e-a-sensacao-na-noite-paulistana.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo contato!