domingo, 10 de julho de 2011

Subi o Morro do Moreno!


Em comemoração aos 20 anos do TRT-ES, a Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho do Espírito Santo - Ajustes organizou uma subida ao Morro do Moreno, um dos belos pontos turísticos de Vila Velha.
O evento ocorreu no dia 10 de julho (domingo), às 8h30, com saída da rua João Joaquim da Mota (ao lado da Boate Jump Café), Praia da Costa.


Sobre o Parque

MORRO DO MORENO

O Morro possui 473.600,00 m2 de área, sendo uma parte loteada e outra, de 253.600,00 m2, de propriedade da Família Aguiar.
Com a RPPN (Reserva particular de Patrimônio natural) estabelecida, os proprietários do Morro pretendem criar o Parque Morro do Moreno preservando o remanescente de Mata Atlântica e oferecendo a comunidade e aos turistas uma opção de lazer de qualidade, com trilhas sobre a mata, espaço para oficinas de ecologia e arte.
Para a criação do Parque Morro do Moreno, seus proprietários estão buscando parcerias com grandes companhias privadas, governamentais, Ong’s e Fundações.

O Morro do Moreno, localizado em Vila Velha – ES, Brasil, debruçado sobre o Oceano Atlântico, é hoje um local perfeito para saltos de parapente, asa-delta e para a prática de escalada, devido a sua altitude de 184 m. Do topo do Morro, temos uma visão de 360º da cidade de Vila Velha, do mar e da capital do Espírito Santo, Vitória. É por causa de sua vista privilegiada e localização estratégica que o Morro do Moreno guarda muitas histórias, como as que seguem abaixo:

SINALEIRO
Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória, aos ataques dos navios corsários. O responsável pela observação era um colono que veio de Portugal com Vasco Fernandes Coutinho. Seu nome era João Moreno, daí o nome do Morro: MORRO DO MORENO. Além da atividade de vigia, João Moreno utilizava as terras do Morro para o cultivo.
No início do século passado, o topo do morro foi fundamental na criação de um sistema de sinalização para a entrada de navios na Baía de Vitória, reforçando sua vocação como Posto de Observação. Agora, ao invés de defesa de ataques dos navios, o topo do Morro do Moreno servia para auxiliar a navegação.

Clementino de Barcellos, figura ilustre e querida de Vila Velha, era o sinaleiro do Morro do Moreno aos 23 anos de idade. Assumiu por nomeação do Governo Federal, o cargo de sinalizador do POSTO SEMAFÓRICO localizado no Morro do Moreno, em substituição ao seu falecido pai, que exercia a mesma função.

Este posto - que ficava de frente para o mar, a leste - tinha a finalidade de identificar por meio de uma luneta de longo alcance, os navios em alto mar. Clementino verificava com antecedência de aproximadamente uma hora, se os navios iriam atracar no Porto de Vitória, se vinham do sul ou do norte e ainda era possível ver detalhes como o nome do navio e da companhia a que pertencia.

A partir da identificação do navio, havia um sistema de comunicação que funcionava com bandeiras coloridas colocadas numa cruzeta fixas na parte superior do mastro. Era uma enorme cruz, com quase dez metros de altura.

BANDEIRAS COLORIDAS
A cor da bandeira e o lado da cruzeta no mastro em que ela era hasteada tinha seu significado. Se Clementino de Barcellos -“Mestre Clê”, como era conhecido -, avistasse um navio vindo do norte (isto é, vindo do lado esquerdo do posto de observação no topo do Moreno), do mesmo lado era hasteada uma bandeira vermelha.

Se avistasse vindo do Sul, isto é, à sua direita, hasteava a bandeira azul do mesmo lado. No topo da cruz era colocada a bandeira branca quando o navio vinha do sol nascente, do leste.
Em Paul, no Péla Macaco ou na Pedra do Cais de Minério, toda essa operação era repetida e do Porto de Vitória, a Capitania iniciava seus trabalhos de assessoramento da entrada do navio, conduzindo-o da boca da barra até o Cais do Porto.

AOS PÉS DO MORRO


Voltando um pouco mais no tempo, temos a história da chegada do donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, aos pés do Morro do Moreno e de como foram divididas as terras da Capitania, incluindo aí o nosso Morro.
O Morro, sede da histórica Fazenda da Costa tinha as seguintes dimensões: 15 léguas de comprimento, do Morro até a Barra do Jucu, e 3 léguas de largura, da faixa litorânea para o interior (sentido leste-oeste).

A propriedade inseria-se no contexto geodésico da Sesmaria Fazenda da Costa, cujo registro paroquial em nome de Victória Clara dos Reis, remonta à data de 25 de junho de 1856, conforme consta no livro nº 84, fls. 18, do Arquivo Público Estadual. Ao ser desmembrado da referida Sesmaria pela venda feita a Delfino Antônio Pereira, o Morro do Moreno foi vendido a Ignácio Martins de Jesus Leal em 03 de dezembro de 1888. Com o falecimento de Ignácio, sua filha única, Angelina Martins da Silva Leal, herdou a propriedade.

Posteriormente, em 25 de maio de 1929, Angelina vendeu toda a propriedade que incluía o Morro do Moreno a Miguel Manoel de Aguiar, filho da terra, nascido na Prainha em Vila Velha – ES, na casa de seus pais, todos CANELA-VERDES, e assim atualmente, grande parte do Morro ainda pertence à tradicional Família Aguiar.

Para perpetuar a beleza natural do “Guardião da Baia de Vitória”, a família resolveu implantar uma RPPN na “MACACA GRÁVIDA”, como também é conhecido o Moreno, alto, bonito e sensual.

 Fonte: IBAMA

Eu já fui:

Fui estagiária do TRT17 em 2007, onde conheci muitas pessoas especiais e fiz grande amigos, fiquei sabendo da subida no Morro do Moreno através da Willyana (servidora na Assessoria de Comunicação do TRT17). Divulguei o evento aqui no blog e fiz a subida com essa galera animada. E para você leitor do blog, conto os detalhes da aventura:

 
A caminhada foi muito bem organizada, aliás parabéns para os organizadores!
A camisa custava R$10,00 para sócios e R$15,00 para não sócios. Foram distribuídas frutinhas, água e picolés (mas o picolé só lá no topo! rs).
Começamos com o alongamento:


                                                                             Foto: Érika Mezabarba

Aqui é onde começa a subida:


                                                        Foto: Érika Mezabarba
  
O caminho é bastante íngrime, mas o visual lá do topo compensa o esforço, que nem é tão grande assim, são apenas 2km de subida, aproximadamente 1h de caminhada. 
Para as mamães que pedem sugestão de lazer para as crianças; esse passeio é uma ótima dica! As crianças que foram adoraram correr pelo caminho!


                                                          Foto: Érika Mezabarba


Olha aí a turma mais animada da caminhada, (Cris e Edissandra prazer conhecer vocês), Willy obrigada pelo convite!

                                                                             Foto: Érika Mezabarba

No caminho fizemos pequenas pausas para as fotos e  houve até fila nos pontos mais estratégicos, para registrar o momento:

                                                                            Foto: Érika Mezabarba

                                                         Foto: Érika Mezabarba

Chegamos!!!


                                                         Foto: Érika Mezabarba


                                                             Foto: Érika Mezabarba

ATENÇÃO: Carros de passeio não passam, é preciso carro alto e com tração nas rodas para conseguir atravessar a parte rochosa da subida.

                                                           Foto: Érika Mezabarba

  
Lembrando que nosso passeio foi ecologicamente correto, levamos de ksa saquinhos plásticos para armazenar o lixo e na descida fomos orientados a recolher os que encontrássemos pelo caminho!
Descendo o morro, não pude deixar de fazer essa foto:




                                                                                 Foto: Érika Mezabarba

Aproximadamente 130 pessoas participaram, abraço para todos, adoreeeeeei!!!!


Por medida de segurança recomendo que esse passeio seja feito sempre em grupo, levem água e não esqueçam do filtro solar!
A próxima escalada será no Mestre Alvaro, acompanhe o blog para saber da data, vamos?


 
O acesso principal achei mal sinalizado e bem complicado de achar, com tanta rua de mão única em Vila Velha sinto-me perdida como em um labirinto! rs Mas nada que a insistência e um pouco de sorte não resolva! rs
Fiquei sabendo que existe um outro acesso para quem deseja subir pela trilha, é um caminho asfaltado que se vê ao passar pela Terceira Ponte no sentido Vila Velha x Vix. Mas não tenho a informação de como se chega nesse acesso.


Acesso principal:
Rua João Joaquim da Mota (ao lado da Boate Jump Café)
Praia da Costa
Vila Velha-ES
 


9 comentários:

  1. - Olá, Érika, muito interessante seu blog. Não o conhecia. Entrei para saber como foi o passeio ao Morro do Moreno e me deparei com suas dicas capixabas! rs Sou servidora do TRT17 e também blogueira... Adoro blogs!rs Aliás, na minha página, sempre que posso, dou dicas de restaurantes e lugares que gostei de ir, incluido o "nosso" (sou mimeira) estado.
    Bom, espero estar aqui mais vezes. Beijos, parabéns pela iniciativa em mostrar mais este maravilhoso Espírito Santo.

    Angelice.

    ResponderExcluir
  2. Ei Ange,

    Que bom que gostou do blog, acompanhe pois sempre posto muitas novidades aqui!

    Saudações bloguisticas!

    ResponderExcluir
  3. Ei Érika,

    Somente hoje reencontrei a Willy e fui lembrar o nome do seu blog. Você está de parabéns. Muito legal a sua iniciativa. Continuei assim, isso vale a pena.
    Sobre a subida ao Morro do Moreno, momento ímpar. Foi ótimo conhecer você e ter a companhia agradável dos amigos.
    Em uma próxima oportunidade estaremos juntos mais uma vez.
    Grande abraço,
    Edsandra

    ResponderExcluir
  4. Aê Érika, parabéns pelo blog hem!! Sou capixaba e amo nossa terra, assim como vc. Subo o Moreno direto e vc bem que poderia capitanear uma campanha sobre a reabertura do Farol de Santa Luzia, aqui em VV. Pô, o visual lá é alucinante, porque os navios ficam passando bem ali em frente, mas está fechado para visitação há um tempão..Abraço!
    Free Ocean Soul

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ano passado tentei visitar o farol mas ainda estava fechado, puxa vida achei um absurdo, n vi nenhuma satisfação de nenhum órgão explicando o porque de o farol estar fechado!

      Excluir
  5. Free Ocean,

    q bom q gostou, volte sempre, o espaço é d vcs!!!!
    Obrigada pela idéia do farol, vou fazer um post aqui sobre isso!

    bjao

    ResponderExcluir
  6. Muitobom! Boa "reportagem" e muito estimulante...para novas opções de lazer. Organize mais grupos para turismo!!!

    ResponderExcluir
  7. Érika, cadê o posto do farol? Adicione a fotinha da placa de acesso ao Morro do Moreno por favor..
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Olá Rafael,

    Não tenho foto da placa de acesso, e infelizmente é muito mal sinalizado o acesso ao Morro do Moreno. Acho q nem placa de acesso tem lá!Recentemente fiquei sabendo que existem duas vias de acesso, mas não faço idéia de onde fica a outra, só as pessoas que moram ali próximo conhece.

    O post do Farol não saiu ainda, pois ainda não pude ir pessoalmente até o local,também não faço ideia de como chegar lá, mas esta na minha lista de descobertas a fazer.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo contato!