quarta-feira, 30 de março de 2011

Projeto Quarta Musical no Jazz Café, em Vitória



O projeto "Quarta Instrumental" realizado no Jazz Café, convida o baixista carioca Rogério Dy Castro para participação em sua quarta edição.

O diretor musical da dupla César Menotti & Fabiano é um dos músicos mais requisitados da atualidade, é o baixista da dupla sertaneja, acompanhou artistas como banda Black Rio, Emílio Santiago e gravou mais de 2.700 entre CD´s e DVD´s. Atuou também no meio gospel e participou de vários trabalhos, tendo tocado inclusive com: Rebanhão, Aline Barros e Kleber Lucas. Como produtor musical da Rede Globo, fez trilhas para os programas: FAMA 1,2,3, MALHAÇÃO, A Padroeira, dentre outros. Atualmente viaja pelo Brasil com o "TRIO", seu grupo, fazendo shows e ministrando master class.

"Quarta Musical" apresenta uma proposta de música instrumental, foi idealizada pelo guitarrista e violonista Emerson Arsy e acontece às quartas-feiras. A banda que acompanha é formada por Andrey Junca no baixo acústico e Gabriel Ruy na bateria. Já se apresentaram no projeto como convidados: o saxofonista Roger Rocha, o baixista americano Evren Edler, o guitarrista Jacaré, o baterista Renato Rocha e o trombonista Rafael Rocha.

No repertório de sua participação na "Quarta Instrumental", Rogério Dy Castro apresentará clássicos de artistas como: Jeff Beck, Flavio Venturini, Djavan,Tamba Trio, João Donato, Herbie Hancok, The Meters, Standars of Broadway, Tom Jobim, Thelonius Monk, Hermeto Pascoal e um trabalho autoral do jazz brasileiro.
 
Serviço

Data: 26 de Janeiro de 2011 (4a Feira)
Horario: 21:00 h
Local : Jazz Café
End: Joaquim Lírio 820 - Triângulo - Praia do Canto
Couvert Artistico : R$ 10,00


terça-feira, 22 de março de 2011

Visita à Fábrica: Chocolates Garoto

Para os chocólatras de plantão:

Fui na fábrica de chocolates Garoto (2º ponto turístico mais visitado do Estado - só perdendo para o Convento da Penha - Fonte: Chocolates Garoto).
Para quem não sabe a fábrica possui um programa de visitas (o choco tour Garoto); que consiste em uma visita monitorada pelos processos de fabricação de alguns dos deliciosos bombons da marca.


Eu já fui:

Funciona da seguinte maneira... a começar pela data:
Normalmente as visitas são realizadas durante a semana (o que para mim era inviável), mas em época de férias é possível fazê-la no sábado. Agendei... como? Você liga com no mínimo 15 dias de antecedência para (27) 3320-1709 ou escreve para o e-mail: programa.visitas@garoto.com.br.
Importante: Crianças somente à partir de 07 anos de idade!!!


                                                        Que fome de chocolate!!!
                                                        Foto: Larissa Comério

E em um grupo de 08 amigos - fomos nós!!!

                                                     Foto: Daniele Kirmes

É necessário ir com roupas e calçados apropriados (calçado fechado e calça comprida), chegar uns minutinhos antes para realizar o pagamento da taxa R$10,00 e pegar sua credencial. Então você fica tirando umas fotos com os bonequinhos dos bombons para colocar no orkut, no blog... fazer inveja em quem não foi!!! kkkkkkk


O coelhinhoo me tirando da cartola!!!
Foto: Larissa Comério



                                                  Brinquedinho das crianças.
                                                     Foto: Larissa Comério

Somos encaminhados para uma sala onde guardamos bolsas, acessórios (relógios, brincos)... em seguida vamos para uma segunda sala onde recebemos uma proteção descartável: Jaleco, touca... assistimos um vídeo com informações da fábrica e medidas de segurança da visita.
Os grupos que circulam dentro da fábrica são formados de 10 em 10 pessoas, ou seja se você for com 20 amigos, vão ter que formar dois grupos e se for com menos... fará novos amigos chocólatras, que no nosso caso foram dois simpáticos cariocas!!!
Quem nos guiou foi uma estagiária de turismo, se não me engano... Francine o nome da moça! Beijo Francine!!!

O cheiro lá dentro é maravilhooooso, engordo só de imaginar trabalhando nesse local, eu iria lembrar de chocolate o tempo todo e iria querer comer o tempo todo!!! nosss. Visitamos o processo de fabricação dos bombons pré-moldados (feito em formas) e para minha surpresa... o processo é mais mecanizado que eu imaginava... a fábrica é cheia de chocodutos (canos de chocolates que percorrem muitos km. pela fábrica), as máquinas fazem quase tudo, quase tudo meeeesmo.. e funcionam à todo vapor!!!

Durante a visita são feitas duas paradas, onde você come chocolate à vontade, mas ninguém consegue comer muito, é que durante a visita não é possível tomar água, pois só existem bebedouros para os funcionários (o que é uma pena)!!!! rs e você sente todo aquele cheiro e vê tanto chocolate... não consegue comer muita coisa!! rs
Depois da visita até fiquei na esperança de enjoar de chocolate, as pessoas que trabalham lá contam que no início comem muuuuito e depois enjoam... depois que senti todo aquele cheiro, vi e comi tanto chocolate, pensei... vou me curar, mas só piorou: Na segunda-feitra após o almoço lembrei daqueles chocolates à vontade... e acabei comendo um monte!!!! kkkkkkk
Se toda vez que eu  pensar em chocolate, recordar de todos aqueles bombons... vou surtar de vez!!! uauauauauuaua. Mas valeu à pena, bem legal abrir um bombom e saber como ele é feito!!!



                                            Nós, os cariocas e nossa guia!
                                                                       Direto para o  mural dos famosos!!!



                                                    Foto: Tiago Braga

Larissa obrigada pela colaboraçã nas fotos, você é ótima como fotógrafa, mas vamos ter de voltar lá para tirar foto com o serenata e o bombom (os chocolates mais vendidos da Garoto). Não deu tempo de tirar com esses bonequinhos e eu amooooo serenata!!!!!
Pena que Dayane e Mimi não puderam ir!!!!

A visita dura 01:30h, mas não é cansativa e passa rapidinhooo!!! Recomendo é um ótimo passeio!!!!!


Acesso:
Endereço: Praça Meyerfreund, nº 01.
Glória – Vila Velha
Espírito Santo


Contato:

Programa de Visitas (27) 3320-1707, (27) 3320-1708 ou (27) 3320-1709.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Centro de Eventos de Vitória vai ampliar o potencial turístico da cidade

Perspectiva do novo Centro de Eventos de Vitória

Com conceito inovador e arquitetura contemporânea, o Centro de Eventos terá espaços multifuncionais para atividades simultâneas com até 15 mil pessoas


O Centro de Eventos de Vitória será o maior espaço para a realização de feiras, shows, congressos e seminários do município e deve ampliar o potencial turístico da cidade.
Com um conceito inovador e arquitetura contemporânea, o equipamento público está sendo projetado com espaços multifuncionais e versáteis que permitirão a realização de atividades simultâneas para até 15 mil pessoas. O projeto foi divulgado para a imprensa em coletiva na manhã desta quinta-feira (17), no Hotel Senac, na Ilha do Boi.

Com uma localização privilegiada, entre a praia de Camburi e o novo terminal de passageiros do Aeroporto de Vitória, esse importante espaço para convenções terá uma área total de 40 mil metros quadrados e será construído em um terreno de 100 mil metros quadrados cedido pela Infraero ao município e ao Estado.

O Centro terá uma arena com capacidade máxima de 7,5 mil pessoas. A área destinada às feiras comporta 8 mil pessoas. Já o auditório e salas de eventos são para 2,4 mil e o restaurante foi projetado para atender com qualidade a mil pessoas, sem contar os espaços em áreas abertas, que podem ser utilizadas simultaneamente.

Além do layout clean, o novo Centro de Eventos de Vitória também inova com uma fachada contemporânea e linhas marcantes que revelam a modernidade da edificação. Desenhado por arquitetos com expertise na área, o centro foi pensado como solução para as necessidades da cidade com base em empreendimentos similares implantados em Fortaleza e Belo Horizonte. Conforto térmico, acústico e acessibilidade em todas as dependências foram elementos fundamentais definidos nesse projeto. 

 

Mobilidade

Outro destaque é a minimização de impactos com a mobilidade, uma vez que o turista que desembarcar no novo terminal de passageiros do Aeroporto de Vitória não precisará se deslocar de carro até o Centro de Eventos. Eles poderão seguir a pé para participar de congressos e feiras. O fato de estar próximo aos principais corredores viários da cidade – avenidas Dante Michelini, Fernando Ferrari e Adalberto Simão Nader – também facilitará os deslocamentos dentro da Grande Vitória.

Com 1,3 mil vagas de estacionamento, espaço reservado para embarque e desembarque de ônibus de turismo e pátios de serviço para 40 caminhões, o novo Centro de Eventos tem tudo para oferecer toda infraestrutura necessária para a realização de grandes convenções. “Essa obra é prioritária para a economia da cidade.

Nossa expectativa é começá-la no próximo ano", ressaltou o secretário municipal de Desenvolvimento da Cidade, Kleber Frizzera.

Confira as dimensões do Centro de Eventos:
Circulação coberta: 11.500 m2
Docas: 780 m2
Setor de serviços: 2.000 m2
Restaurante: 800 m2
Espaço para feiras: 10.000 m2
Auditório e salas de eventos: 5.000 m2
Arena: 9100 m2
Estacionamento: 1.350 veículos e 40 caminhões
Área total: 40.000 m2

terça-feira, 15 de março de 2011

Arquivo Público

Hartung destaca investimentos no resgate da história capixaba em visita ao Arquivo Público


Fotos Thiago Guimarães / Secom
Governador: o Governo do Estado vem investindo em projetos e ações que têm a finalidade de resgatar a história do Espírito Santo.

O governador Paulo Hartung visitou a nova sede do Arquivo Público do Espírito Santo. Além de conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pelo órgão, Hartung aproveitou para ver as obras de adaptação e modernização que estão sendo executadas no local. A visita foi acompanhada pelo secretário dos Transportes e Obras Públicas, Neivaldo Bragato, pelo diretor geral do Arquivo Público, Agostino Lázaro, e por diretores do órgão.

A nova sede do Arquivo Público, localizada na rua 7 de Setembro, no Centro de Vitória, conta com espaço ampliado e oferece melhores condições de atendimento ao público.  O local também proporciona uma maior segurança ao acervo do órgão. As obras de adaptação e modernização estão orçadas em R$ 3,6 milhões, incluindo investimentos na modernização física e em equipamentos. A previsão é que a reforma seja concluída no início do próximo ano.

A mudança da antiga sede ocorreu em 2008, porque a antiga sede já não comportava o acervo, que vem crescendo cada vez mais. A antiga sede, construída em 1925, durante a administração do Presidente do Estado Dr. Florentino Avidos, funcionava na rua Pedro Palácios, na Cidade Alta.

Visita ao Arquivo Público.

O diretor técnico do Arquivo, Cilmar Franceschetto, ressaltou que a nova sede do órgão representa uma conquista.  “Nas últimas décadas, o Arquivo se aperfeiçoou e buscou apresentar novos projetos e serviços, de acordo com a demanda da população. É o caso, por exemplo, do projeto “Arquivo Itinerante”, inédito no país, no qual criamos uma interatividade com a população capixaba, prestando serviço e enriquecendo nosso acervo”, afirmou.

Visita ao Arquivo Público.

O governador Paulo Hartung enfatizou que o Governo do Estado vem investindo em projetos e ações que têm a finalidade de resgatar a história do Espírito Santo e que a mudança da sede do Arquivo Público e as obras de adaptação e modernização do órgão fazem parte desse trabalho.

Visita ao Arquivo Público.

“O capixaba ainda conhece pouco a sua história. Por isso, temos investido para difundir a cultura e a história de nosso povo. Precisamos conhecer nosso passado, para construir no presente um futuro de prosperidade compartilhada e de igualdade de oportunidades”, afirmou.

Visita ao Arquivo Público.

Projetos
Serviços e produtos estão sendo produzidos para o Arquivo Público, principalmente através de seu site (http://www.ape.es.gov.br/), dentre eles o “Portal do Imigrantes” e o projeto “Sensos Capixabas”, este último apresentando nomes de escravos e índios. O objetivo deste último projeto é fortalecer o acervo dessas populações que tiveram papel importante na formação da identidade capixaba.

Visita ao Arquivo Público.

Arquivo Público
Fundado em 18 de julho de 1908 pelo então governador do Estado, Jerônimo de Souza Monteiro, o Órgão tem como principal função recolher, tratar, preservar e divulgar a documentação pública do Executivo do Estado.
O Arquivo Público do Estado do Espírito Santo conta com aproximadamente 11 fundos documentais, de valor permanente, sendo estes preservados em caráter definitivo. Eles são divididos nos seguintes temas: AGRICULTURA, Departamento EstaduaL de Imprensa e Propaganda (DEIP), Departamento Oficial de Propaganda (DOP), EDUCAÇÃO, FAZENDA   GOVERNADORIA,  INTERIOR E JUSTIÇA, POLÍCIA ,  TER,  VIAÇÃO E OBRAS PÚBLICAS.   Cada tema trata sobre um período ou movimento histórico do Espírito Santo. Ao pesquisar sobre o conteúdo Agricultura, por exemplo, a pessoa terá acesso a documentos que retratam a Colonização e Imigração Estrangeira no Espírito Santo, abrangendo os períodos Imperial e Republicano.

Visita ao Arquivo Público.

Há ainda os Arquivos Intermediários (são conjuntos de documentos que já deixaram de ser considerados arquivos correntes, mas ainda são usados em razão do seu interesse administrativo, como por exemplo, processos referentes à documentação de pessoal e financeiro, correspondências, etc...) e os Arquivos Privados, que consiste em documentos produzidos por diversas pessoas, em decorrência de suas atividades intelectuais (esses recolhimentos são frutos de doações familiares).

Visita ao Arquivo Público.

O Arquivo Público conta ainda com a Biblioteca de Apoio Maria Stella de Novaes, cujo o conteúdo da massa documental está relacionada principalmente à história política, social e econômica do Estado do Espírito Santo. Fazem parte deste departamento acervos fotográfico, sonoro, plantas e mapas, microfilmes, etc., armazenados em ambiente climatizado, com controlador de umidade relativa ao ar.

Visita ao Arquivo Público.

Dentre os documentos impressos estão os Anais, Anuários, Boletins, Jornais, Legislação avulsa do Estado, Publicações Oficiais, Revistas, Jornais e Livros sobre o Estado do Espírito Santo.


Eu já fui:
Fui no Arquivo Público na época que fazia faculdade (meados de 2006), conheci o antigo prédio onde ficava o Arquivo (na cidada alta): Um prédio histórico, lindooo, no seu interior existe uma escada de madeira lindaaa em espiral, mas infelizmente o prédio está abandonado, já foi até condenado pela defesa civil!!! E esta até hoje abandonado!!!! Merecia uma reforma!!!


APE
Antiga sede do Arquivo
Fonte: site do Arquivo Público Estadual


ape
Escadaria de madeira que dá acesso ao segundo pavimento do imóvel.


Na época de minha visita... parte do acervo já havia sido transferido para o novo prédio, onde atualmente funciona o Arquivo Público!

Os Arquivistas, historiadores e demais funcionários que lá trabalham.... armazenam e conservam verdadeiros tesouros da história capixaba!!! Além disso tornam possíveis importantes projetos entre eles o que é voltado à "história dos imigrantes"!

Faça uma visita e conheça um pouco mais da nossa História!


Acesso:
Rua Sete de Setembro, 414 
Centro 
Vitória - Espírito Santo

Atendimento ao público: das 10:00 às 17:30 horas




Contato:
Tel: (27) 32.23.75.24 - Fax: (27) 32.23.29.52
http://www.ape.es.gov.br/index2.htm


Fonte: http://www.es.gov.br/site/noticias/show.aspx?noticiaId=99716281


Fonte: site do Arquivo Público Estadual

APE
Sede atual do Arquivo
Fonte: site do Arquivo Público Estadual

terça-feira, 1 de março de 2011

Vitória ganha seu primeiro Jardim Sensorial

 
A partir deste mês, os moradores da Grande Vitória passam contar com um espaço onde é ssível ver, ouvir e sentir a natureza de uma forma totalmente inovadora. Com uma estrutura que promete explorar e estimular os cinco sentidos do ser humano, a Vale inaugura o primeiro jardim sensorial permanente da Grande Vitória nesta terça-feira, dia 1º de março.

Iniciativa da Vale, o Jardim Sensorial é um espaço de cerca de 100 metros quadrados e fica no Parque Botânico Vale. A ideia é dar uma nova opção de lazer e integração com a natureza às pessoas com deficiência, além de ajudar a compreender como essas pessoas conseguem captar toda a riqueza à sua volta usando cada um dos cinco sentidos.

"Nosso principal objetivo é oferecer uma opção diferenciada de interação com o meio ambiente, além de permitir que os nossos visitantes percebam a natureza e toda a sua beleza sob a ótica dos deficientes. Também faz parte da proposta do Jardim Sensorial o estímulo ao equilíbrio, à percepção, ao desenvolvimento físico e mental dos visitantes e à criação de novas alternativas para a aprendizagem de cores, plantas e animais", explica a supervisora do Parque Botânico Vale, Tânia Semedo.

A visita ao espaço é muito simples e rica. O tato é explorado por meio do contato direto com as plantas e com os diferentes tipos de piso que revestem o local, como madeira e grama. Já o olfato é estimulado por um conjunto de diferentes perfumes de ervas aromáticas, temperos e plantas medicinais. A audição é trabalhada tanto pelos sons próprios do Parque e de sua fauna e flora, quanto pelo sistema de sonorização do Jardim, que reproduz o canto de pássaros e de outros elementos da natureza, como o de um pequeno canteiro com cascata de pedras que simula o som de cachoeira.

Pensa que acabou? Pois vai ficar um gostinho de quero mais. O paladar também será posto à prova no Jardim Sensorial pela experimentação de alguns temperos e ervas. Tudo com a vista de um conjunto formas, cores e volumes, que completa a brincadeira dos sentidos.

Para atender a todos os visitantes no novo espaço, os orientadores do Parque Botânico Vale receberam treinamento em Libras, a linguagem dos sinais utilizada por pessoas com deficiência auditiva.


Acesso:
Parque Botânico da Vale
Vitória -ES



Fonte: http://saladeimprensa.vale.com/pt/pauta_online/index.asp?id=105

Falta um zoológico



Um jardim zoológico, também chamado de zoológico ou simplesmente zoo, é um local específico para se manter animais, selvagens e domesticados, que podem ser exibidos ao público. Nele existem profissionais especializados, como veterinários e zootecnistas, que cuidam da alimentação, das jaulas, da saúde mental e física dos animais, entre muitas outras atividades. Site Wilkipedia

Falta um zoológico aqui em Vitória, não um zoológico com animais retirados da natureza, mas sim um lar para os animais que precisam ser recuperados dos traumas de cativeiros! Eles precisam de cuidados especiais, pois não se adaptam a vida selvagem!

Encontrei na net uma matéria sobre o IBAMA-ES não ter recurso para fazer um centro de recuperação para os animais: