terça-feira, 26 de julho de 2011

Jacubemba

Jacupemba fica à 95 km de Vitória, é distrito de Aracruz; localiza-se à 40 km ao norte do município. Tem uma população estimada em seis mil habitantes. 
A economia é baseada nos setores: indústria, comércio, serviços e agropecuária. Clima Tropical Litorâneo, quente e semi-úmido, com inverno seco, pouco acentuado.

Origem do do nome:
Jacupemba é uma ave craciforme da família dos cracídeos, que ocorre do sul do estado brasileiro do Amazonas ao estado do Rio Grande do Sul e Paraguai. Vive em matas, capoeiras, cerrados e caatingas, chegando a medir até 55 cm de comprimento, com a barbela nua e vermelha, mais proeminente no macho, topete rudimentar, plumagem das asas com bordas ferrugíneas, peito esbranquiçado e íris vermelha. Também é conhecido pelos nomes de jacucaca, jacupeba, jacupema e jacu-velho.

 

Eu já fui:

No início de junho conheci Jacupemba, você já ouviu falar? Pois é...  raramente eu vou para o Norte do Estado, só soube da existência do local porque tenho um grande amigo que lá reside. 

Aos poucos vou desbravando terras capixabas.... e essa aventura eu também divido com vocês!

 

Essa é a BR-101, Jacupemba fica nas margens da rodovia!!!!  

 

 
                                                                               Foto: Marcos Jesus



Parada obrigatória: fomos ver de perto o outdoor do nosso amigo Marquinhos (celebridade na cidade):

 
                                                                            Foto: Rafael Quimtella


Fotos pelas ruas, "momento tour":

                                                                             Foto: Érika Mezabarba


                                                                            Foto: Érika Mezabarba



Essa é a Associação de Jacupemba, uma espécie de Clube (onde tudo acontece): 

                                                                              Foto: Érika Mezabarba


A Igreja também é parada obrigatória (considerada monumento histórico):
 
                                                           Foto: Érika Mezabarba

Históra da Igreja Sagrado Coração de Jesus:

Em 1956, foi lançada e benta a pedra fundamental da Igreja Católica de Jacupemba, uma das mais belas do município de Aracruz, pelo então novo bispo da Diocese de Vitória em visita ao Município de Aracruz, Dom João Batista da Motta e Albuquerque, sua inauguração ocorreu em 27/03/1960, com cerimônia presidida pelo Monsenhor Guilherme Schimitz, sendo a igreja dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, cuja festa é celebrada em julho.

Seus construtores foram José Ferrari e Teodolindo Barbosa, contando com a participação de toda a comunidade, principalmente de Constantino Boina, considerado “a alma da construção” e um apostolo leigo de que a Igreja necessita nos dias atuais“, assim mencionado pelo Monsenhor no livro de Tombo n.º 3, folha 15, da Igreja Matriz de Aracruz. Fonte: PMA


O que fazer em Jacupemba?
Bom... além da missa... eu fiquei sabendo de um forró, mas a galera estava afim de virar a noite no churrasco mesmo. E foi isso que aconteceu... ninguém foi no forró :( Para compensar domingo pela manhã fomos explorar a região e por uma estradinha de chão....


                                                                      Foto: Érika Mezabarba


 Encontramos as famosas lagoas:

                                                   Foto: Érika Mezabarba


Uma corujinha (que fez pose para foto):

                                                       Foto: Érika Mezabarba

E muuuuiitooo verde... um vento delicioso batendo no rosto, uma paz indescritível.... xiiii to fazendo poesia aqui, mas é esse o sentimento que toma conta de nós quando estamos diante da natureza, não tem jeito rs!

                                                     Foto: Érika Mezabarba


Rafa aproveitou para meditar enquanto a gente se jogava na grama!!!! rs
                                                       Foto: Érika Mezabarba
 
Esse passeio renovou minhas energias, sempre bom conhecer novos lugares não é? Muitos paraísos ficam tão pertinho da gente e desconhecemos. Por isso que é importante "sair de casa", kkkk.... é saindo de casa que as coisas acontecem!!! 
Mais um lugar delicioso que mostro para vocês! Espero que tenham gostado!
                                                    
                                                   Foto: Dayane Ribeiro

E viva Jacupemba!!!! 
Marquinhos obrigada pela estadia e muiiito sucesso para você, viu?


Acesso - Jacupemba:
Litoral Norte Espírito-santense 
BR-101
Limites
Linhares, Fundão, Ibiraçu, João Neiva e Oceano Atlântico.


Fonte: http://www.pma.es.gov.br/conteudo/turismo/
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/jacupemba/




 

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Vitória ganha estúdio musical público para ensaio e gravação

Fernanda Neves Gomes
Felipe Araújo em apresentação com seus alunos da oficina de violão no Estação Porto
O principal foco do estúdio será o ensaio para músicos e bandas de diversos estilos

A capital do Espírito Santo ganha, neste sábado (16), às 18h, um espaço para a gravação e ensaio, quando será inaugurado o Estúdio Musical do Circuito Cultural.
O evento de início das atividades contará com apresentações de curtas-metragens capixabas dos premiados diretores Virgínia Jorge e Ricardo Sá e shows das bandas Sidrera (reggae) e Benaiahu (metal).
O Estúdio Musical funcionará dentro do Espaço Multiuso do Circuito Cultural (Rodovia Serafim Derenzi, 4.783, Redenção) e poderá ser utilizado, gratuitamente, pela comunidade. O local conta com mesa de som, caixas amplificadoras, instrumentos musicais, computadores e tratamento acústico.
O principal foco do estúdio será o ensaio para músicos e bandas de diversos estilos, mas estará aberto a gravações de faixas para esses artistas. "Para isso, contratamos um produtor musical que irá auxiliar os músicos", afirma a coordenadora do Circuito Cultural, Lena Cogo.
Para o secretário municipal de Cultura, Alcione Pinheiro, essa é uma ação que dará mais visibilidade ao artista local. "É mais um passo no sentido de democratizar o acesso às artes, aumentando a nossa gama de produtos, possibilitando a divulgação dos nossos músicos e produtores culturais".

Serviço
Inauguração do Estúdio Musical do Circuito Cultural
Quando: sábado (16), a partir das 18h
Atrações: Mostra de vídeos capixabas e shows das bandas Sidrera (reggae) e Benaiahu (metal)
Onde: Espaço Multiuso do Circuito Cultural, Rodovia Serafim Derenzi, 4.783, Redenção
Quanto: Entrada franca.
Informações: (27) 3132-2211

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/secom.php?pagina=noticias&idNoticia=6407

domingo, 10 de julho de 2011

Subi o Morro do Moreno!


Em comemoração aos 20 anos do TRT-ES, a Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho do Espírito Santo - Ajustes organizou uma subida ao Morro do Moreno, um dos belos pontos turísticos de Vila Velha.
O evento ocorreu no dia 10 de julho (domingo), às 8h30, com saída da rua João Joaquim da Mota (ao lado da Boate Jump Café), Praia da Costa.


Sobre o Parque

MORRO DO MORENO

O Morro possui 473.600,00 m2 de área, sendo uma parte loteada e outra, de 253.600,00 m2, de propriedade da Família Aguiar.
Com a RPPN (Reserva particular de Patrimônio natural) estabelecida, os proprietários do Morro pretendem criar o Parque Morro do Moreno preservando o remanescente de Mata Atlântica e oferecendo a comunidade e aos turistas uma opção de lazer de qualidade, com trilhas sobre a mata, espaço para oficinas de ecologia e arte.
Para a criação do Parque Morro do Moreno, seus proprietários estão buscando parcerias com grandes companhias privadas, governamentais, Ong’s e Fundações.

O Morro do Moreno, localizado em Vila Velha – ES, Brasil, debruçado sobre o Oceano Atlântico, é hoje um local perfeito para saltos de parapente, asa-delta e para a prática de escalada, devido a sua altitude de 184 m. Do topo do Morro, temos uma visão de 360º da cidade de Vila Velha, do mar e da capital do Espírito Santo, Vitória. É por causa de sua vista privilegiada e localização estratégica que o Morro do Moreno guarda muitas histórias, como as que seguem abaixo:

SINALEIRO
Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória, aos ataques dos navios corsários. O responsável pela observação era um colono que veio de Portugal com Vasco Fernandes Coutinho. Seu nome era João Moreno, daí o nome do Morro: MORRO DO MORENO. Além da atividade de vigia, João Moreno utilizava as terras do Morro para o cultivo.
No início do século passado, o topo do morro foi fundamental na criação de um sistema de sinalização para a entrada de navios na Baía de Vitória, reforçando sua vocação como Posto de Observação. Agora, ao invés de defesa de ataques dos navios, o topo do Morro do Moreno servia para auxiliar a navegação.

Clementino de Barcellos, figura ilustre e querida de Vila Velha, era o sinaleiro do Morro do Moreno aos 23 anos de idade. Assumiu por nomeação do Governo Federal, o cargo de sinalizador do POSTO SEMAFÓRICO localizado no Morro do Moreno, em substituição ao seu falecido pai, que exercia a mesma função.

Este posto - que ficava de frente para o mar, a leste - tinha a finalidade de identificar por meio de uma luneta de longo alcance, os navios em alto mar. Clementino verificava com antecedência de aproximadamente uma hora, se os navios iriam atracar no Porto de Vitória, se vinham do sul ou do norte e ainda era possível ver detalhes como o nome do navio e da companhia a que pertencia.

A partir da identificação do navio, havia um sistema de comunicação que funcionava com bandeiras coloridas colocadas numa cruzeta fixas na parte superior do mastro. Era uma enorme cruz, com quase dez metros de altura.

BANDEIRAS COLORIDAS
A cor da bandeira e o lado da cruzeta no mastro em que ela era hasteada tinha seu significado. Se Clementino de Barcellos -“Mestre Clê”, como era conhecido -, avistasse um navio vindo do norte (isto é, vindo do lado esquerdo do posto de observação no topo do Moreno), do mesmo lado era hasteada uma bandeira vermelha.

Se avistasse vindo do Sul, isto é, à sua direita, hasteava a bandeira azul do mesmo lado. No topo da cruz era colocada a bandeira branca quando o navio vinha do sol nascente, do leste.
Em Paul, no Péla Macaco ou na Pedra do Cais de Minério, toda essa operação era repetida e do Porto de Vitória, a Capitania iniciava seus trabalhos de assessoramento da entrada do navio, conduzindo-o da boca da barra até o Cais do Porto.

AOS PÉS DO MORRO


Voltando um pouco mais no tempo, temos a história da chegada do donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, aos pés do Morro do Moreno e de como foram divididas as terras da Capitania, incluindo aí o nosso Morro.
O Morro, sede da histórica Fazenda da Costa tinha as seguintes dimensões: 15 léguas de comprimento, do Morro até a Barra do Jucu, e 3 léguas de largura, da faixa litorânea para o interior (sentido leste-oeste).

A propriedade inseria-se no contexto geodésico da Sesmaria Fazenda da Costa, cujo registro paroquial em nome de Victória Clara dos Reis, remonta à data de 25 de junho de 1856, conforme consta no livro nº 84, fls. 18, do Arquivo Público Estadual. Ao ser desmembrado da referida Sesmaria pela venda feita a Delfino Antônio Pereira, o Morro do Moreno foi vendido a Ignácio Martins de Jesus Leal em 03 de dezembro de 1888. Com o falecimento de Ignácio, sua filha única, Angelina Martins da Silva Leal, herdou a propriedade.

Posteriormente, em 25 de maio de 1929, Angelina vendeu toda a propriedade que incluía o Morro do Moreno a Miguel Manoel de Aguiar, filho da terra, nascido na Prainha em Vila Velha – ES, na casa de seus pais, todos CANELA-VERDES, e assim atualmente, grande parte do Morro ainda pertence à tradicional Família Aguiar.

Para perpetuar a beleza natural do “Guardião da Baia de Vitória”, a família resolveu implantar uma RPPN na “MACACA GRÁVIDA”, como também é conhecido o Moreno, alto, bonito e sensual.

 Fonte: IBAMA

Eu já fui:

Fui estagiária do TRT17 em 2007, onde conheci muitas pessoas especiais e fiz grande amigos, fiquei sabendo da subida no Morro do Moreno através da Willyana (servidora na Assessoria de Comunicação do TRT17). Divulguei o evento aqui no blog e fiz a subida com essa galera animada. E para você leitor do blog, conto os detalhes da aventura:

 
A caminhada foi muito bem organizada, aliás parabéns para os organizadores!
A camisa custava R$10,00 para sócios e R$15,00 para não sócios. Foram distribuídas frutinhas, água e picolés (mas o picolé só lá no topo! rs).
Começamos com o alongamento:


                                                                             Foto: Érika Mezabarba

Aqui é onde começa a subida:


                                                        Foto: Érika Mezabarba
  
O caminho é bastante íngrime, mas o visual lá do topo compensa o esforço, que nem é tão grande assim, são apenas 2km de subida, aproximadamente 1h de caminhada. 
Para as mamães que pedem sugestão de lazer para as crianças; esse passeio é uma ótima dica! As crianças que foram adoraram correr pelo caminho!


                                                          Foto: Érika Mezabarba


Olha aí a turma mais animada da caminhada, (Cris e Edissandra prazer conhecer vocês), Willy obrigada pelo convite!

                                                                             Foto: Érika Mezabarba

No caminho fizemos pequenas pausas para as fotos e  houve até fila nos pontos mais estratégicos, para registrar o momento:

                                                                            Foto: Érika Mezabarba

                                                         Foto: Érika Mezabarba

Chegamos!!!


                                                         Foto: Érika Mezabarba


                                                             Foto: Érika Mezabarba

ATENÇÃO: Carros de passeio não passam, é preciso carro alto e com tração nas rodas para conseguir atravessar a parte rochosa da subida.

                                                           Foto: Érika Mezabarba

  
Lembrando que nosso passeio foi ecologicamente correto, levamos de ksa saquinhos plásticos para armazenar o lixo e na descida fomos orientados a recolher os que encontrássemos pelo caminho!
Descendo o morro, não pude deixar de fazer essa foto:




                                                                                 Foto: Érika Mezabarba

Aproximadamente 130 pessoas participaram, abraço para todos, adoreeeeeei!!!!


Por medida de segurança recomendo que esse passeio seja feito sempre em grupo, levem água e não esqueçam do filtro solar!
A próxima escalada será no Mestre Alvaro, acompanhe o blog para saber da data, vamos?


 
O acesso principal achei mal sinalizado e bem complicado de achar, com tanta rua de mão única em Vila Velha sinto-me perdida como em um labirinto! rs Mas nada que a insistência e um pouco de sorte não resolva! rs
Fiquei sabendo que existe um outro acesso para quem deseja subir pela trilha, é um caminho asfaltado que se vê ao passar pela Terceira Ponte no sentido Vila Velha x Vix. Mas não tenho a informação de como se chega nesse acesso.


Acesso principal:
Rua João Joaquim da Mota (ao lado da Boate Jump Café)
Praia da Costa
Vila Velha-ES
 


sexta-feira, 8 de julho de 2011

Trio Ternura agita as quintas-feiras de julho da Royal Club

"A gente está muito animado para tocar em Vitória. Estamos com uma expectativa muito boa", conta Jhama (vocal e violão)

ERIK OAKES - GAZETA ONLINE

foto: Divulgação
Trio Ternura
Trio Ternura é formado por Jhama, Thiago Martins e Dhum Neves


As quintas-feiras da Royal Club estarão agitadas no mês de julho. O Trio Ternura, banda revelação do Rio do Janeiro, marca presença na boate nos dias 7, 14, 21 e 28 de julho. "A gente está muito animado para tocar em Vitória. Estamos com uma expectativa muito boa", conta Jhama (vocal e violão).


Formada por três amigos, entre eles o ator Thiago Martins, a banda apresenta um show no formato compacto, com um repertório bem eclético. "Vamos de MC Catra a Roberto Carlos. A gente procura ir no que a galera gosta de ouvir. É muito parecido com nosso gosto. A gente toca um pouco de tudo para agradar gregos e troianos. Quem for vai ouvir Mc Catra, Seu Jorge, Paralamas do Sucesso, Ivete Sangalo, Caetano, Djavan, Claudio Zoli, Banda Eva, Chiclete com Banana, Roberto Carlos, tudo num som meio acústico, mas pesado", detalha Jhama.


O terceiro integrante é o percussionista Dhum Neves, que iniciou sua carreira na música com apenas 11 anos. "O trio Ternura foi formado em 2009, quando fomos parabenizar o Bruno Gagliasso pelo aniversário dele. Aí, recebemos um convite de amigos para fazer uma festa numa boate do Rio de Janeiro. A partir daí, pensamos numa formação e começamos a nos apresentar. A coisa foi tomando uma proporção grande e hoje estamos tocando no país inteiro", conta Jhama sobre a história do grupo.

Serviço:
Royal Deluxe com Trio Ternura e DJ Mark Dias
Todas as quintas-feiras de julho
Horário: 23h
Local: Royal Club - Rua Madeira de Freitas, Via Cruzeiro Mall, Praia do Canto, Vitória
Ingressos: R$ 30 (mulheres) ou R$ 40 (consumação/Royal List) e R$ 60 (homens) ou R$ 120 (consumação/Royal List)
Reservas para camarote e mezanino pelo telefone 3315-7366.
Royal List ligar para 3315-7366 ou enviar nome para lista@royalvix.com.br

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/07/divirta_se/noticias/musica/898406-trio-ternura-agita-as-quintas-feiras-de-julho-da-royal-club.html