quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Uma viagem ao passado na Casa da Memória em Vila Velha

Texto: Lívia Albernaz / Foto: Divulgação

Inventário Casa da Memória - Imagem: Divulgação

Toda a memória do município em documentos textuais, icnográficos, cartográficos, fotografia e bibliográficos com data a partir de 1840 em livro. É a apresentação do Inventário do Acervo Histórico da Casa da Memória de Vila Velha, que vai acontecer nesta quarta (12), a partir das 19h, na Câmara Municipal de Vila Velha, na Prainha.
Documentos reunidos pela arquivista Leila Valle e pela bibliotecária Cleima Rabelo vão revelar um pouco do passado da cidade, que é o berço da civilização capixaba e do Espírito Santo. Toda informação foi obtida graças ao acervo existente na Casa da Memória, que conta com mais de cinco mil documentos. O objetivo do projeto, realizado desde agosto, é resgatar a identidade cultural do capixaba, identificando e catalogando todos os arquivos para, em breve, disponibilizar para consulta.


Identidade capixaba
Antigas leis, relatórios das províncias capixabas, fotografias de Vila Velha do início do século passado e toda sua arquitetura e desenvolvimento poderão ser encontradas no inventário, feito por mais de 10 pessoas. E para fechar a apresentação do projeto, será realizado um momento cultural com música ao vivo e exposição do bonde ‘100 Anos de Saudade’.


Confira a programação da apresentação do Inventário do Acervo Histórico da Casa da Memória:
19h – Abertura e apresentação do Projeto de Inventário
Local: Câmara Municipal de Vila Velha, Praça Frei Pedro Palácios, s/nº, Prainha
21h – Momento Cultural
Local: Casa da Memória, com música ao vivo e visitação ao antigo bonde da exposição “100 Anos de Saudade”

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Geoweb: sistema possibilita a morador ter informações diversas sobre a cidade

Foto Divulgação
Imagem da tela do Sistema Geoweb da Prefeitura de Vitória
O sistema Geoweb Vitória pode ser acessado pelo endereço www.vitoria.es.gov.br/geoweb


Já está disponível para consulta pelos moradores o novo Geoweb Vitória. Após passar por recentes mudanças, o sistema apresenta, agora, novo layout, melhor tecnologia, facilidade de pesquisa e maior interatividade. No Geoweb Vitória, que pode ser acessado pelo endereço www.vitoria.es.gov.br/geoweb, é possível acompanhar, por exemplo, o andamento das obras do Orçamento Participativo e conferir onde ficam os postos de entrega voluntária para coleta seletiva.

O principal objetivo do Geoweb Vitória é facilitar o acesso às informações georreferenciadas para quem precisa encontrar a localização de diversas infraestruturas da cidade. O site oferece um mapa interativo de Vitória, com a localização de serviços e informações da cidade, dados espaciais para download, além de acesso aos aplicativos de geoprocessamento do município.

“O site registra cerca de 3 mil acessos por mês”, diz a gerente de Geoprocessamento, Joseanny Gomes Poltronieri Pereira. “Desse total, muitos são de outros países”. Segundo ela, poucas prefeituras disponibilizam sua base cartográfica no formato digital. “Sem nenhum custo, as informações estão disponíveis para estudantes, pesquisadores, empresas e concessionárias de serviços”.

“A informação ao alcance do morador, dos gerentes de projetos, planejadores, tomadores de decisão e servidores faz com que o uso do Geoweb se torne cada dia mais uma cultura, não só na Prefeitura, como na sociedade de um modo geral”, conclui Joseanny Pereira

Com edição de Deyvison Longui


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

RESULTADO DO SORTEIO

Divulgando o resultado da promoção de 02 anos do blog:

http://www.capixabaquersairdecasa.blogspot.com.br/2012/11/promocao-aniversario-do-blog-concorra.html

O comentário número 14 foi o sorteado!

Parabéns Ester Onofre!

Você ganhou um almoço com direito a acompanhante no restaurante:  
 
Verde Perene
http://www.capixabaquersairdecasa.blogspot.com.br/2010/11/restaurante-verde-perene.html 
 


 

Enviarei um e-mail com os dados necessários!

Obrigada a todos que participaram!
Segue o print da tela do site que usei para efetuar o sorteio:






segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Cachoeira da fumaça - Alegre

 HISTÓRIA

"Distante 4 léguas desta povoação (Alegre) acha-se, no braço sul do Rio norte ou Itapemirim, a Cachoeira da Fumaça, assim denominada por causa da neblina, que sobre ela se eleva.

Tem na sua 1ª capadupa, segundo se calcula 275 braças de altura, e 100 a 2ª do principio da qual as ágoas precipitadas da 1ª resvalão estrepitosamente para o abismo.

Na 1ª correm as ágoas velozmente por entre alcantilados penhascos como uma entumecida massa espumosa, semelhante na cor ao leite; e na 2ª as ágoas deixando entre si e a pedra, sobre que tem corrido, um vácuo de 4 braças, atirão-se de um só jacto sobre as pedras que se veem em baixo da Cachoeira, produzindo-o no embate contra essa muralhas um movimento semelhante ao das ondas contra os arrecifes nas praias: os borbotões d'agoa elevam-se ahi a uma grande altura, d'onde resulta a permanente existência de uma neblina expessa, que em tempo sereno conserva-se prairada, e em tempo de forte briza, transformando-se em chuva, vai cahir longe, regando assim o terreno adjacente à cachoeira, na distância de 20 braças.

Segundo affirmão, moradores de perto da cachoeira, algumas pedras, que embaixo della parecião estar eternamente condennadas a soffrer com paciência a queda das ágoas, tem rolado com estas com um estampido que se faz ouvir muito longe .

O ruído da cachoeira é tão forte que quando o vento favorece, cente-se à noite em logares que ficão distantes della 3 légoas.

A margem sul do rio embaixo da cachoeira na extensão de 20 braças de largura, assemelha-se em certa épochas do anno a um jardim de flores roxas, amarellas e brancas que se veem pendentes aos pequenos arbustos, únicos que se notão n'aquella extensão, e que só recebem as criptalinas gottas que, da neblina elevada sobre a cachoeira, sob elles arremessa a briza.

É do meio deste jardim; é pisando este tapete de relva, esmaltado de flores, que o homem contempla o bello majestoso da cachoeira, e, quando tócos de madeira, levados, pela corrente, chocão-se entre si, ouve sons armoniozos às vezes, às vezes um rufar semelhante a uma caixa de guerra, e às vezes uma gritaria, como se ahi estivessem muitas pessoas fazendo algazarra: é d'hai ainda que, além destes calhaos de pedra que, atirados uns sobre outros, são um monumento histórico do dilúvio universal, dessa revolução violenta e súbita, que soffreu a terra por causa dos pecados do homem: além dessas massas de granito, que a sciência tem reconhecido, terem sido em estado líquido; e além dessa ágoas, que por um machinismo maravilhoso, que trabalha sem fadiga e constantemente, rolão para margem, deste partirão, para d'ahi partirem ainda, a fim de saciar tudo, terras, homens, animais e plantas: o homem com pasmo observa, através da nuvem de fumaça, arcos-ires produzidos pelo reflexo dos raios do sol, quando este rei dos astros, subindo do seu leito, começa a lançar-se como um gigante em sua carreira; aprendendo assim o homem que a luz imcomprehensível em sua essência inesplicável em sua velocidade, e provocando uma, indivisível e de uma só côr, multiplica-se e divide-se em muitas côres differentes para variar ao infinito o quadro da natureza inteira. O encarnado da rosa, o amarello dourado da laranja, o amarello alvacento dos trigos maduros, o verde da primavera, o azul claro da abóboda celeste, o azul ferrete do anil e o colorido modesto da violeta são as 7 cores, em que o mesmo raio do sol se divide por uma gota d'agua, e que estão nas mesmas relações entre si, que as 7 notas da música; e comtemplando-as na cachoeira o homem, cuja alma se arrouba e remonta à sua origem para bendizer o Eterno Pintor, que só poderia fazer tais maravilhas, tendo mais esta opportunidade de considerar no mystério, que encerra o número 7, além das que offerece a Scriptura que diz: que Deus fez e santificou o Universo em 7 dias; que diante do seu Throno conservão-se em pé 7 Anjos ou Espíritos; que diante da Arca Santa Luzia a candeia de ouro de 7 braços; que o anno da remissão era annuniado por 7 trombetas de júbilos, que o Livro eterno é fechado por 7 sellos; que o Cordeiro que os rompe tem 7 cornos ou raios, 7 olhos ou espíritos; que o sól da justiça se comunica a nós por 7 sacramentos ou irradiações differentes; e que o espírito da charividade se comunica por 7 dons ou raios diversos: o homem, repito, vê que a luz e a palavra creada são, uma por suas 7 cores principais e a outra por seos principais tons, uma sombra e como um écho da luz e da palavra encreadas, e que assim como um mesmo raio absorvido deixa ver o preto, que é a ausência de toda a cor como o negro do ébano; dividido, deixa ver as côres intermediárias como o preto e o branco, e reunido faz apparecer o branco, que é a reunião dessas côres intermediárias como o branco do lírio; assim também os diversos raios da luz increada absorvidos ou annulados pelos homem, não deixão ver nelle senão a ausência da luz, a ausência do bem, a ausência da vida, enfim as trevas, o mal e a morte, a que é condenado e reprovado; fielmente reunidos um com outro, nelle fazem brilhar o explendôr dos perfeitos, isto é, uma imagem do explendôr, da vida e da perfeição divina; e conservados em parte n'outro fazem luzir nelle traços de eterna belleza."

Descrição da cachoeira da Fumaça, escrita, provavelmente, da década de 1870, pelo padre Manoel Pires Martins e transcrita do Livro Tombo da Freguesia do Alegre, folhas 19v até 20v (transcrito do Livro Tombo do Itapemirim, documento número 75).

Extraído do Livro "NOSSAS RAÍZES - O ALEGRE ATÉ O ANO DE 1920: FATOS E BIOGRAFIAS" Autor: Carlos Magno Rodrigues Bravo
 O PARQUE

O Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça foi criado através do Decreto nº 2.791-ES (24 de agosto de 1984) e complementado através do Decreto nº 4.568-E (21 de setembro de 1990), quando então o Governo do Estado, atendendo uma demanda dos moradores dos municípios de Alegre, Guaçuí e Castelo e de outros Estados da Federação, desapropriou uma área de 27 ha, coberta basicamente de pastagem, mas que continha em seu interior a cachoeira do rio Braço Norte Direito ou Cachoeira da Fumaça, que atraía milhares de visitantes devido à sua grande beleza cênica.
A sua cobertura original é do tipo Floresta Estacional Semidecidual, que, ao longo dos anos, foi sendo recomposta, com plantios de essências nativas/frutíferas. Apesar de suas dimensões implicarem em uma fauna reduzida, observou-se, com o replantio, o retorno de aves e pássaros como siriema, beija-flor, rolinha, bem-te-vi, gavião, jurutí, dentre outros.
O rio Braço Norte Direito além de contribuir com a beleza cênica do local, através da Cachoeira da Fumaça com seus 140 metros de queda, é um afluente do rio Itapemirim, abastecendo vários centros urbanos.

O acesso ao Parque está completamente pavimentado.
O estacionamento comporta 72 veículos.





Fonte:http://www.alegre.es.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=162&Itemid=108



Eu já fui:

A rodovia que dá acesso à cachoeira é "pista simples", com muitas curvas e sinalização de trânsito precária, portanto muita ATENÇÃO!!! O acesso à Cachoeira é bem sinalizado! Não dá para se perder... será necessário sair do asfalto principal e descer uma forte ladeira (calçada com paralelepípedo), estive lá em julho desse ano (2012), as margens dessa ladeira estava com o mato alto precisando de podagem!

 Na entrada do Parque existe o Centro de recepção ao turista; onde conhecemos a história da Cachoeira, seus limites... Tudo isso explicado por profissionais capacitados e bem treinados, que utilizam instrumentos como mapas e fotos para apresentar os dados.
Abraço para o Vinícius, acho que é Vinícius mesmo quem nos recepcionou! rs


Centro de recepção ao turista
Foto: Érika Mezabarba

Também possui um espaço destinado à venda de artesanato, doces... produzidos pelos moradores da região:
Artesanato da região
Foto: Érika Mezabarba

Dentro do Parque (onde os turistas entram) esta muito bem cuidado, possui estacionamento com sombra, espaço destinado às crianças (biblioteca, brinquedos...)

 Foto: Arquivo pessoal

Mesas e banquinhos de madeira espalhados pelo parque, dá próxima vez volto para fazer um pic-nic, pois pode entrar com bebida e comida, mas é proibido fazer churrasco viu gente! A água? é limpinha sim, pelo ou menos no dia em que eu fui estava cristalina, mas bem fria!! rs Existem pequenas piscinas naturais ao redor da Cachoeira, ideal para crianças, mas atenção as pedras são escorregadias e não tem salva-vidas lá não!!!! rs 
Recomendo o passeio!!!!

Acesso:
O Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça está localizado no Município de Alegre, distante aproximadamente 33 Km da sede municipal e 228 Km da capital do Espírito Santo. O acesso se dá por estrada pavimentada com calçamento de paralelepípedo, em perfeitas condições de tráfego de veículos de pequeno porte.

Partindo de Alegre, o acesso se dá pela BR-482, sentido Guaçuí. A 10 Km de Alegre, no distrito de Celina, o turista deverá seguir à direita pela rodovia ES-185 sentido Iúna. A estrada de acesso à Cachoeira estará a cerca de 20 km. Existe sinalização turística indicativa do Parque Estadual.

Quem vem de Minas pela BR-262 (Belo Horizonte - Vitória) deve entrar à direita no trevo de Iúna. Depois de passar por esta cidade, continuar em direção a Alegre. Cerca de 10 km após o município de Ibitirama está a indicação do acesso à Cachoeira, à esquerda.

Quem vem do Rio de Janeiro (Bom Jesus do Itabapoana), deve seguir até Guaçuí e depois sentido Alegre. Celina fica 10 km depois, onde se entra com direção a Iúna.
Funcionamento:
O órgão responsável pelo Parque Estadual é o IEMA (Instituto Estadual do Meio Ambiente), do Governo do Estado. Para visitar a Cachoeira da Fumaça não é necessário marcar com antecedência, a não ser que seja um grupo grande de pessoas. Neste caso, é bom agendar a visita. O número de visitantes é de 610 pessoas/dia.

Não existe área de camping dentro do parque. Entretanto, anexo à Cachoeira da Fumaça existe um restaurante e lanchonete que possui área especifíca para acampamento. Recomendamos que, caso queira acampar no parque, entre antes em contato com o IEMA (www.iema.es.gov.br).
O IEMA publicou no dia 15 de dezembro de 2010 a Instrução Normativa n° 09, que estabelece normas de visitação e utilização das dependências do Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça. No documento está especificado aspectos importantes para quem desejar visitar o parque, tais como condições de camping (é proibido), alimentação, banho, animais domésticos, entre outros. Para baixar a Instrução Normativa, clique aqui.

O Parque funciona todos os dias, das 08 às 17 horas. O acesso é gratuito. Contatos através do e-mail
--> pecf@iema.es.gov.br --> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. --> ou pelo telefone (28) 9904 4824.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Supermercados continuam fechados aos domingos, garante convenção dos comerciários

 

 

Na convenção deste ano, os trabalhadores do comércio receberam reajuste. Quem recebia o salário base da categoria, de R$ 680, passou a receber R$ 748, com 10% de aumento

 
A convenção coletiva da classe comerciária deste ano não trouxe nenhum resultado que pudesse derrubar o acordo que obriga o fechamento dos supermercados do Espírito Santo aos domingos. Os comerciários garantiram a folga aos domingos pelo quinto ano consecutivo.

Na convenção deste ano, encerrada no final de outubro, foram definidos reajustes para os trabalhadores do comércio. A partir deste mês de novembro, quem recebia o salário base da categoria, de R$ 680, passou a receber R$ 748, com 10% de aumento. Os salários maiores que o básico foram reajustados em 7%.

O superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Schneider, destacou que, pelo menos até outubro do ano que vem, na próxima convenção, os supermercados permanecem fechados aos domingos. Ele afirma que existe a vontade de retornar as atividades neste dia da semana, mas as regras trabalhistas e dificuldade para conseguir mão de obra dificultam a proposta.

"A maior dificuldade é o problema da mão de obra. O funcionário trabalha insatisfeito, falta, e você tem vários problemas. Passa a ser inviável. A sociedade precisa entender muito bem isso",diz Schneider.

Em 2008, um acordo entre empresários e trabalhadores resultou no fechamento dos supermercados aos domingos. A decisão cabe à Acaps, mas a entidade, desde então, segue o combinado. A legislação permite a abertura dos supermercados aos domingos desde que os funcionários sejam da própria família do proprietário, medida corriqueira em estabelecimentos do interior do Estado.
 
 
 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Igrejas, parques, bancos e órgãos têm de oferecer estacionamento para bicicleta

André Sobral
Família andando de bicicleta na Av. Dante Michelini
Estabelecimentos terão de disponibilizar bicicletário para as pessoas

Igrejas, parques, museus, bancos, indústrias, órgãos públicos administrativos e instalações desportivas vão ter de oferecer estacionamento gratuito com, no mínimo, 10 vagas para bicicletas. A exigência está na lei 8.352, sancionada pelo prefeito da capital no último dia 19 de setembro. Agora, o município vai fazer a regulamentação da lei em 120 dias.

A lei estabelece ainda que esses estabelecimentos podem ter dois tipos de estacionamento: bicicletários (por período de longa duração) ou paraciclo (espaço em via pública por média ou curta duração).
A lei também diz que shoppings, supermercados, estabelecimentos de ensino e hospitais precisam se adequar. No entanto, desde 2006, quando começou a valer o Plano Diretor Urbano de Vitória, esses equipamentos já são aprovados com estacionamento de bicicletas.

Hospitais e clínicas acima de 1.000 metros quadrados ofertam uma vaga para cada 500 metros quadrados. Já para os colégios, a exigência é de uma vaga para cada 40 metros quadrados de área de sala de aula. Academias de até 1.000 metros quadrados têm uma vaga para cada 60 metros quadrados, por exemplo.
No caso de supermercados, de hortomercados e de hipermercados, a regra atual varia de acordo com o tamanho da loja. O cálculo mínino é de uma vaga para cada 70 metros quadrados.

Lojas comerciais e shoppings também têm o estacionamento definido em função do tamanho do empreendimento.

Com edição de Matheus Thebaldi

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/secom.php?pagina=noticias&idNoticia=9556

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Centro oferece atividades para os idosos

Elizabeth Nader
Idosas dançando em palco do Teatro Carlos Gomes

Previstos na Política Nacional de Assistência Social (PNAS), os Centros de Convivência para a Terceira Idade integram a rede de serviços da Proteção Social Básica do Sistema Único da Assistência Social (Suas) em Vitória.

Nos espaços, são desenvolvidas atividades de formação cidadã, culturais, esportivas e recreativas, que proporcionam o envelhecimento saudável e a defesa de direitos.

O objetivo é possibilitar à terceira idade espaços de convivência, favorecendo a melhoria da qualidade de vida, a valorização da autoestima, o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e a prevenção do isolamento social, como prevê os serviços das proteção básica.

Como participar

Para participar das atividades, a pessoa idosa deve procurar o Centro de Convivência mais próximo de casa e preencher a ficha de cadastro. Os interessados devem ser moradores de Vitória e ter idade acima de 60 anos.

Atividade oferecidas

Carlos Antolini
idosos tocando congo
  • Ginástica
  • Informática
  • Alongamento
  • Artes
  • Ioga
  • Teatro
  • Dança
  • Letramento
  • Terapia ocupacional
  • Grupos de convivência
Nos Centros de Convivência de Jardim da Penha e Jardim Camburi também são ofertadas atividades de musculação, hidroginástica, pilates e oficina de música. Em Maria Ortiz, pessoas idosas também podem participar das atividades de coral e congo.

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/semas.php?pagina=oquesao_centros

terça-feira, 31 de julho de 2012

Projeto do Parque do Penedo é aprovado

Texto: Kárita Iana / Foto: Divulgação

Morro do Penedo  - Imagem: Divulgação

O projeto conceitual do Centro de Vivência do Monumento Natural Municipal Morro do Penedo foi apresentado, na manhã desta quinta-feira (26), para o Conselho Municipal de Meio Ambiente fechando o ciclo de discussões para iniciar a captação de recurso e as etapas de implantação. O projeto também passou pelo Conselho Gestor da Unidade de Conservação e pelo Conselho Estadual de Cultura e recebeu aprovação.

O objetivo do projeto é tornar o Penedo um ponto de visitação para que moradores, turistas, pesquisadores e estudantes tenham a oportunidade de conhecer a biodiversidade da Unidade de Conservação e contemplar a beleza natural do manguezal de Aribiri e a baia de Vitoria.
“Discutimos o projeto em vários âmbitos e agora temos respaldo para seguir com os próximos passos que fazem parte do nosso plano para as Unidades de Conservação. Esse é um desejo antigo de muitos no intuito de agregar aos visitantes mais conhecimento em relação a utilização das Unidades de Conservação. É um investimento em área pública para uso coletivo, sem interferir na paisagem do morro que será totalmente preservado”, explicou o secretário de Meio Ambiente, João Nardoto.

Para um dos membros titulares do Conselho Municipal, Petrus Lopes, a implantação do Parque será um marco para a história das Unidades de Conservação em Vila Velha. “Nos últimos anos temos acompanhado várias melhorias em relação ao meio ambiente, mas esta instalação vem iniciar um novo conceito de utilização das Unidades, um divisor de águas. A estrutura do projeto está de excelente padrão, e adequada para o que o município precisa. Vamos acompanhar para que a sustentabilidade seja priorizada”, disse o gestor do Instituto Jacarenema de Pesquisa Ambiental (Injapa).

O projeto, que tem como base manter moldes originais do monumento, prevê a implantação de Centro de Vivência, trilhas para passeio ecológico, mirante, passarelas, cais flutuante, pórtico de entrada, píer para chegada pelo mar, e deque de madeira. Além disso, está previsto a instalação de uma torre de acesso entre o Morro da Urca e do Penedo, de um sistema de captação de água da chuva, e ainda a restauração da casa de pedra com museu.

Fonte: http://www.vilavelha.es.gov.br/noticias/projeto-do-parque-do-penedo-e-aprovado-2631

 

terça-feira, 24 de julho de 2012

Lei da meia-entrada em Vitória enfrenta problemas para ser cumprida

 Falta de orientação de funcionários e má fiscalização nas bilheterias são alguns dos obstáculos para o público

 

GAZETA ONLINE

Ampliada em maio deste ano para professores das redes municipal e particular de Vitória, a meia-entrada em eventos artísticos, culturais e desportivos ainda gera discussões e mal-entendidos entre público e produtores. Para adquirir os ingressos, em algumas ocasiões, os consumidores sofrem com a inadequação de estabelecimentos e a falta de orientação de funcionários.

Em Vitória, o benefício concedido aos professores já compreendia as categorias de estudantes (Lei nº 4.882/1999), jornalistas e radialistas (Lei nº 6.217/2004). No momento da aquisição do ingresso, ou na entrada do evento, é preciso comprovar a formação com os registros profissionais emitidos pelos sindicatos. No caso dos estudantes, são aceitas as carteiras de identidade estudantil. Passar pela bilheteria, porém, pode ser um transtorno mesmo com as identificações.


Por meio do 'Fale Conosco' do Gazeta Online foi relatado que o Cinemark, localizado no Shopping Vitória, não permitiu que a professora Fátima Luzia Sezama comprasse a meia-entrada para assistir a um filme, há cerca de um mês. Segundo ela, uma funcionária informou que o cinema não estava vendendo a meia para professores. "Eu precisei pagar a inteira. Xeroquei a lei e agora ando com ela dentro da bolsa", disse Fátima.

Em nota, a Rede Cinemark declarou que orienta a equipe a aceitar o benefício para professores. De acordo com a empresa, são feitos treinamentos periodicamente com os funcionários para a atualizá-los sobre a meia-entrada. No entanto, a rede não se manifestou sobre o caso da professora.

Informe da lei

O conhecimento da mudança da lei, segundo o Gerente do Procon Municipal, Marcos Nati, é obrigação dos responsáveis pela produção de eventos: "Quando a lei entra em vigor, a gente entende que todos têm compreensão. Os produtores não podem alegar desconhecimento para não cumprir".

Marcos acrescenta que, como a lei é nova, o mês de julho foi reservado para levar as informações aos realizadores, numa tentativa de fiscalização de caráter educativo. Em entrevista na quinta-feira (19), o responsável pela produtora Espírito Cultura, Eduardo Pagani, afirmou que não recebeu nenhuma notificação desde que houve a mudança na lei da meia-entrada. "Ninguém passou nada para a gente. Eu descobri sem querer, por meio de uma amiga", disse ele.

O diretor do Cine Ritz Norte-Sul, Gilmar Sanvido, no mesmo dia, afirmou que também não foi informado da ampliação do benefício: "Aqui não houve mudança porque sempre teve meia para professores. Não recebemos nenhuma notificação da prefeitura." Já Kaedy Azevedo, responsável pelo Ilha Shows e Barracústico, disse que recebeu um ofício da Prefeitura de Vitória quando a lei mudou.

Fiscalização

Para garantir o cumprimento da lei, Marcos Nati afirma que há fiscalizações rotineiras nas casas de show e demais estabelecimentos artísticos: "Não existe dificuldade grande para garantir o direito à meia-entrada. Há compreensão da maioria dos produtores."

No Ilha Shows e no Barracústico, não existe rotina de fiscalizações. "Vieram uma ou duas vezes", disse ele. Nos eventos produzidos pela Espírito Cultura, de acordo com Eduardo Pagani, nunca houve fiscalização: "Trabalho há oito anos com isso e ninguém verificou nada. Não existe fiscalização."

Eduardo lembra que, durante a entrada para a peça "História de Nós 2", no Teatro da Ufes, em abril deste ano, houve problema com a meia-entrada para professores. "Um professor foi barrado porque a gente não tinha conhecimento da lei. Mas um funcionário do teatro esclareceu a história e deixou ele passar", completa. Na época, também não havia fiscalização no evento.
Preços

Devido a alta demanda por meia-entrada nas bilheterias, o preço dos ingressos pode sofrer acréscimo para compensar a menor venda de inteiras. Segundo Marcos Nati, alguns produtores cobram um valor alto nas inteiras para burlar a lei. "A fiscalização tem atuado com relação a isso. Já tivemos caso de travar bilheterias e exigir o abatimento de 50% do preço para oferecer a meia-entrada real", disse o gerente do Procon.

Kaedy Azevedo nega o aumento. "Aqui os valores foram mantidos. O preço sempre girou em torno de R$ 35 (meia) e R$ 70 (inteira)". Gilmar Sanvido, diretor do Cine Ritz Norte-Sul, também disse que os ingressos continuam com o mesmo preço. A Rede Cinemark reconheceu o aumento significativo nos valores dos ingressos, mas declarou que a alteração não tem qualquer relação com a demanda de meia-entrada. Segundo a empresa, houve reajuste em todos os cinemas da rede.

Se houver problema para adquirir a meia-entrada quando se tem o benefício, o consumidor deve fazer uma denúncia contra o estabelecimento no Procon, de acordo com Marcos Nati. "A gente manda a fiscalização no local para ver se é desconhecimento do funcionário ou se é uma prática da empresa. O estabelecimento pode ser punido com multa, avaliada de acordo com a infração e faturamento da empresa. O valor pode chegar a R$ 6 milhões", finaliza.

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/07/divirta_se/noticias/1317682-lei-da-meia-entrada-em-vitoria-enfrenta-problemas-para-ser-cumprida.html

 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Antigo bonde está exposto na Casa da Memória

Texto: Lívia Albernaz / Foto: Zanette Dadalto e Eduardo Ribeiro

Casa da Memória - Imagem: Eduardo Ribeiro

Vila Velha é o berço da civilização capixaba. A história do Estado do Espírito Santo começou em um domingo, dia 23 de maio de 1.535, quando a caravela Glória, que trazia o português Vasco Fernandes Coutinho aportou na Prainha. E é na Prainha, com seus monumentos históricos, que toda história é revelada a turistas, jovens e crianças que buscam fora da sala de aula, descobrir um pouco do passado. São locais únicos como o Museu Homero Massena, Gruta Frei Pedro palácios e agora, uma novidade: o antigo bonde que circulava pelo município no século passado está exposto na Casa da Memória e aberto à visitação de segunda a sexta.
 
História do Bonde

Há 100 anos, Vila Velha era contemplada com um marco para a mobilidade e crescimento urbano do município com a instalação dos trilhos e bondes na cidade. E a época dourada em que muitos guardam em sua memória, está retratada em fotos e textos na exposição “100 anos de Saudade”, na Casa da Memória, Parque da Prainha. É sem dúvida uma viagem ao tempo, em fotos e textos.
 
No dia 12 de abril de 1912, dois bondes elétricos foram inaugurados em Vila Velha e cinco meses depois a empresa Viação Elétrica comprou mais dois conjuntos e uma gôndola. Os bondes circulavam por dez quilômetros de trilhos em Vila Velha. A inauguração do novo meio de transporte marcou uma era em que Vila Velha começou a crescer com a energia elétrica em 1910 e também em 1912, a instalação da água encanada.
 
A tripulação dos bondes - motorneiro, condutor, fiscal e fiscal geral - recebiam passageiros vestidos de uniforme cáqui e quepes. O motorneiro acionava e conduzia o bonde, o condutor tinha a função de cobrar as passagens e o fiscal, ficava na parte de trás. O percurso em Vila Velha era de 10 km de trilhos, por onde circulavam dois bondes. Um saía do Centro, outro de Paul, e o cruzamento dos dois acontecia na Estação de Aribiri.

O bonde e a exposição “100 anos de saudade” podem ser visitados de segunda a sexta, das 08 às 17 horas, na Casa da memória, Prainha
 
Casa da Memória

A Casa da Memória foi construída no final do século XIX (datada em 1893) e é tombada pelo Conselho Estadual de Cultura. No espaço, existe um acervo de fotos que tratam do sítio histórico da Prainha e adjacências, resgatando a história e memória do município e do Estado. E agora, o bonde, exposto no pátio da Casa da Memória atrai visitantes de todas as idades.
 
E essa época dourada, que muitos guardam em sua memória, também está retratada em fotos e textos na exposição “100 anos de Saudade”, na Casa da Memória, Parque da Prainha. É sem dúvida uma viagem ao tempo, em fotos. No local, com as imagens expostas que retratam a evolução do município ao longo dos últimos 100 anos, o visitante poderá conhecer um pouco da história da cidade, com acervo histórico e cultural sobre a colonização do solo Espíritossantense.
 
O turista paulista, Rogério da Costa Melo, é professor de história e está pela segunda vez em Vila Velha e fala da importância em realizar o resgate histórico. “Muito legal ver de perto o bonde e poder fazer essa viagem histórica; desde quando o bonde era puxado por burro até sua extinção na cidade.”, comentou.
 
Além dos turistas, a Casa da Memória tem recebido alunos das escolas, como a turma do 4º e 5º ano do Núcleo Educacional Piaget. A professora Helaine de Menezes disse que a visita faz parte de atividades extraclasse. “ Estamos visitando os pontos turísticos de Vila Velha e contando para os alunos toda a histórica do município. As crianças estão aprendendo muito.”, contou.
            
Mais informações: (27) 3388-4344.
 
Fonte: http://www.vilavelha.es.gov.br/noticias/antigo-bonde-esta-exposto-na-casa-da-memoria-2502
 

domingo, 17 de junho de 2012

Parque da Fonte Grande


Situado no Maciço Central da Ilha de Vitória, o Parque Estadual da Fonte Grande contrasta com a agitação da metrópole e é um convite para quem deseja relaxar apreciando a natureza. Na Capital, o parque é a última área contígua de grande porte com vegetação característica de encostas da Mata Atlântica.

Ele foi inaugurado em junho de 2001 e está sob os cuidados da Prefeitura de Vitória. Ao longo de seus 21,8 mil metros quadrados, podem ser observados répteis, invertebrados, pequenos mamíferos e aves. Em suas encostas, estão localizadas várias fontes e bicas, com destaque para São Benedito, Cazuza e Morcego. O local também possui um Centro de Educação Ambiental (CEA).

O relevo é acidentado e inclui vales e pontões. O ponto culminante atinge quase 309 m. Com localização e paisagens privilegiadas, a região tem mirantes naturais, que proporcionam espetaculares e múltiplas visões de Vitória e de seu entorno. No alto do Morro da Fonte Grande, mas fora da unidade de conservação, existem as torres de rádio e televisão. Elas atraem a atenção de muitas pessoas que circulam pela beira-mar e ajudam a direcionar os olhares para as belezas paisagísticas do parque.

 Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/semmam.php?pagina=fontegrande

 Eu já fui:

Disseram-me que era a vista mais linda de Vitória, mas não era só a de Vitória e também de Vila Velha, do porto.... Sim, lá de cima você vê a fábrica chocolates garoto, a terceira ponte, o porto.. É mesmo lindoooo!!!! Se você quer apresentar a cidade de Vitória para alguém, lá de cima é o lugar ideal, perfeito!

Vamos aos detalhes que você só encontra aqui no blog... Existe uma entrada no bairro Fradinhos (do outro lado do parque), mas o acesso é feito por trilha, não sobe carro! Optei pela entrada principal (bairro Grande Vitória), achei que seria complicado encontrar a entrada do parque, mas para minha surpresa foi muito fácil! Basta seguir pela Av. Serafim Derenze sentido Centro de Vitória, logo após a FAESA à sua esquerda fica a entrada do Parque:

  

 Foto: Érika Mezabarba

Seguimos os 3km de subida de carro, no caminho existem alguns mirantes, onde os visitantes fazem paradas para apreciar a  vista e tirar foto. 

Logo no estacionamento, já encontramos as diversas torres de rádio e tv, que espalham-se pelo parque:

 Foto: Érika Mezabarba

   Foto: Érika Mezabarba

E mais três minutinhos de caminhada, lá está o famoso mirante, cartão postal desta cidade lindaaa que eu amo:

   Foto: Érika Mezabarba

E como não deixo escapar naaaada através do meu olhar crítico, tenho que comentar... é triste, mas desde a entrada do parque, percebe-se nitidamente que esta precisado de reforma, as placas estão apagadas, feias, as limitações da área é feita por uma cerca muiiito "feinha"! Não vi bebedouros nem sanitários! Um plano de paisagismo também seria muito bem-vindo, o mato ao redor das limitações não é roçado faz tempo! Olhem o estado do banquinho do mirante principal:

 

   Foto: Érika Mezabarba

  

 Foto: Érika Mezabarba

Foto: Érika Mezabarba

Uma prévia da vista, mas já adianto que ver a foto nem se compara com a deliciosa sensação de admirar a vista sentindo o vento no rosto:

 

Foto: Érika Mezabarba

 Foto: Érika Mezabarba

 

Foto: Érika Mezabarba

 

Foto: Érika Mezabarba

Recomendo o passeio, para quem quer saber mais sobre o parque, como visitas agendadas etc.. Deixo o link de uma "super reportagem" completíssima feita por uma amiga minha:

http://www.youtube.com/watch?v=bZ5uaCPCVLw

Gostaram da postagem? Aguardem a minha visita, (atendendo a pedidos) ao farol de Santa Luzia em Vila Velha.

Agradecimento especial ao Rafa pela carona e paciência com o relatório fotográfico!!

 

Acesso

Quem está a pé pode chegar ao Parque Estadual da Fonte Grande passando pela rua Antônio Dell Antônia, em Fradinhos, ou pela rua Alziro Viana, no Centro.
Quem está de carro pode seguir pela rodovia Serafim Derenzi ou pela Estrada Tião Sá, no bairro Grande Vitória.
O agendamento é aconselhável para as visitas monitoradas.

  • Telefone: (27) 3381-3521 (administração/agendamento)
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 8 às 17 horas.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Vila Velha terá estações para aluguel de bicicletas

Texto: Kennya Gava / Foto: Eduardo Ribeiro






 
 Uma das principais prioridades na melhoria da mobilidade em Vila Velha é o incentivo a outros modais de transporte. Por isso, a Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Semtran) pretende implantar na cidade um projeto de aluguel de bicicletas em vários pontos do município.

Assim como já acontece em diversos países e em grandes capitais do Brasil, o usuário poderá alugar bicicletas por preço acessível, em estações próprias, que disponibilizarão de 10 a 20 bicicletas que poderão ser utilizadas durante todo o dia. O objetivo é que licitação seja realizada ainda este ano e que o projeto comece a funcionar já no próximo verão.

Após a licitação, a empresa vencedora terá um prazo máximo de 60 dias para apresentar à Semtran um projeto com locais de instalação das estações de bicicletas. Cada terminal terá um mapa de localização e instruções de uso, e o pagamento será feito no próprio local de forma autônoma.

Para o secretário de Transporte e Trânsito, Bruno Lorenzutti, o projeto, pioneiro no Estado, será um marco no incentivo a utilização de outros meios de transporte. “Como a tarifa será bem acessível, acreditamos que iremos estimular a utilização deste meio de transporte integrador e as pessoas passarão a usar a bicicleta para o trabalho, lazer e turismo”, afirmou.

Ciclorrede
Atualmente Vila Velha já conta com mais de 32 quilômetros de ciclovia sendo utilizadas pelos ciclistas, faltando apenas 2,4 km para a conclusão da ciclorrede. A ciclovia interliga toda a orla ao Centro da cidade, passando pelas avenidas Darly Santos e Carlos Lindenberg.

Com o término das obras, Vila Velha será a primeira cidade da região metropolitana a implantar uma ciclorrede e uma nova política de mobilidade urbana, criando caminhos alternativos às vias de tráfego intenso. Segundo dados da Semtran aproximadamente 55 mil viagens de bicicletas são realizadas diariamente no município. A expectativa é que cada vez mais cidadãos possam usufruir da estrutura.

Fonte: http://www.vilavelha.es.gov.br/noticias/vila-velha-tera-estacoes-para-aluguel-de-bicicletas-2266
 

terça-feira, 12 de junho de 2012

Produtora confirma Festival de Alegre em 2013

Evento está marcado acontecer entre os dias 29 de maio e 01 de junho do ano que vem

ERIK OAKES - GAZETA ONLINE

foto: Vitor Jubini
Festival de Alegre 2012
Público pode comemorar a confirmação do Festival de Alegre em 2013

Quem achou que o 26º Festival de Alegre deixou saudades, pode começar a se animar. Após o anúncio feito no palco do evento, no último dia de festa (sábado), a ATS Promoções confirmou neste domingo, no Twitter.

"Para quem já está com saudade, ano que vem tem mais! De 29 de maio a 1 de junho, estaremos #TodosJuntos aqui de novo!", foi publicado no perfil oficial do festival.

"Escolhemos essa data por ser a tradicional e cair no feriado de Corpus Christi", complementa o organizador Jorge Luiz Sobreira, da ATS Promoções.

Segundo Jorge, devido ao sucesso de algumas atrações neste ano, a ideia é trazer algumas novamente em 2013. Ele ainda fez um balanço do evento que terminou no último sábado (09).

"O Festival de Alegre demonstrou mais uma vez ser uma marca forte no mercado. Apesar de ter ficado dois anos ausente e pegar noites frias e chuvosas em 2012, o público compareceu e prestigiou o evento. O festival foi um sucesso! Todos os shows superaram as expectativas. Posso dizer que as grandes atrações foram a Paula Fernandes, que trouxe o público dela, e a banda O Rappa, que no último dia conseguiu levantar todo mundo, inclusive quem já estava cansado por ter curtido desde a quarta-feira", explica.

Sobre o problema de som que ocorreu durante o show de Michel Teló, no segundo dia do evento. "Queria agradecer a produção do Michel Teló e o próprio cantor. Eles tiveram paciência no decorrer do problema de som que parou por dois momentos o show. Em nenhum momento o público se afastou", finaliza.


Fonte: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/06/divirta_se/noticias/1269430-produtora-confirma-festival-de-alegre-em-2013.html

terça-feira, 29 de maio de 2012

Vitória amplia investimento e aumenta número de espaços culturais

Andre Sobral
Fachada da MUCANE
O Museu Capixaba do Negro será entregue à população totalmente restaurado e ampliado na segunda quinzena de junho

Um dos pilares da política cultural de Vitória é o investimento em espaços culturais. Para dar visibilidade à produção cultural, à memória capixaba e ao intercâmbio com a produção nacional e estrangeira, a Prefeitura de Vitória, por meio da Secretaria Muncipal de Cultura (Semc), vem investindo na ampliação e na melhoria dos equipamentos culturais da cidade.

Os espaços culturais passaram de quatro para 14 nestes quase oito anos. Além da Escola de Teatro Dança e Música Fafi, Casa Porto das Artes Plásticas, Mercado da Capixaba e Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim, atualmente a Semc tem entre seus equipamentos o Espaço Multiuso Circuito Cultural; Memorial da Paz; Estação Porto; Casarão Cerqueira Lima; Escola São Vicente de Paulo; Centro Cultural Carmélia; Espaço Vitória Design; Museu do Pescador; Museu do Negro; e Palácio Domingos Martins.

Ainda integram a lista o novo Galpão das Paneleiras, inaugurado em 2011 e entregue à Associação das Paneleiras de Goiabeiras; o Mercado São Sebastião, onde a Semc realiza projetos, como o Mercado da Música; o Sambão do Povo, palco do desfile das escolas de samba do Carnaval de Vitória; e a Casa do Folclore, entregue à Comissão Espírito-Santense de Folclore.

De acordo com o secretário municipal de Cultura de Vitória, Alcione Pinheiro, para 2012 estão previstos investimentos de aproximadamente R$ 3,6 milhões de recursos próprios em obras e aquisição de equipamentos e mobiliário para os espaços.

Com um orçamento de R$ 14,6 milhões, o valor investido representa 24% da verba da Secretaria. Somam-se a eles um montante de quase R$ 6 milhões em recursos captados, totalizando cerca de 10 milhões em investimento só em espaços culturais este ano.

“Uma das maiores e mais antigas demandas que tínhamos na área da Cultura era sobre espaços culturais. E mesmo que não tenhamos ainda todos esses aparelhos funcionando, temos a certeza de que todos eles estão com a nossa secretaria, que serão usados como espaços culturais. Isso é muito importante”, destaca o secretário.

Novos espaços

A Estação Porto, implementada em 2006 no armazém 5 do Porto de Vitória, é alugada da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa). Outro equipamento alugado é o Espaço Multiuso Circuito Cultural em São Pedro, que começou a funcionar em 2007.

Erlon Boechat
Público assistindo a Show na Estação Porto
A Estação Porto é um ambiente de divulgação cultural no Centro de Vitória

Em 2008, foi inaugurado o Memorial da Paz, que possui uma galeria de exposições disponibilizada aos artistas capixabas. Já 2010 foi marcado pelas inaugurações da Casa do Folclore Hermógenes Lima Fonseca e do Museu Histórico da Ilhas das Caieiras “Manoel dos Passos Lyrio”, o Museu do Pescador.

Em 2011, a Prefeitura de Vitória reinaugurou o Centro Cultural Carmélia Maria de Souza, cedido pelo Estado ao município em 2010. Outro espaço cedido a Vitória é o Museu Capixaba do Negro (Mucane), que será entregue à população totalmente restaurado e ampliado na segunda quinzena de junho.

A gerente de Espaços Culturais da Semc, Melissa Passamani, estima que a média de investimento nesses equipamentos esteja perto dos R$ 10 milhões. Ela esclarece ainda que o Casarão Cerqueira Lima, o Espaço Vitória Design e a Escola São Vicente de Paulo já pertenciam à Prefeitura de Vitória, mas não eram da Cultura.

Com edição de Deyvison Longui

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/secom.php?pagina=noticias&idNoticia=8629
 

domingo, 6 de maio de 2012

O que fazer em Vitória ES?


No meu blog você encontra opções de entretenimento na
 Grande Vitória e todo Estado (ES).

Para você que deseja conhecer dicas de programações, culinária, lazer... no ES
Seja-bem vindo!!!!! Esse é o blog mais badalado do Estado!

Escrevo resenhas dos lugares que conheço e posto diariamente dicas quentíssimas para 
turistas e capixabas! 

Curta o blog no facebook para ficar informado e participar das promoções:



terça-feira, 13 de março de 2012

Centro Cultural Sesc Glória ainda não tem data para abertura

Segundo assessoria atraso se deve a reforço na obra e licitações de compras

ERIK OAKES - GAZETA ONLINE

foto: Edson Chagas
Obras - Fachada do Centro Cultural Sesc Glória (antigo Teatro Glória) na Praça Costa Pereira, Centro.
Fachada do Centro Cultural Sesc Glória (antigo Teatro Glória) na Praça Costa Pereira

Está difícil ver o Centro Cultural Sesc Glória aberto. O espaço adquirido há seis anos pela Administração Regional do Sesc, que teria abertura prevista para este ano, ainda não tem data definida para inauguração da reforma e restauração.

A demora se deve ao atraso nas obras e abertura de algumas licitações. Segundo a assessoria de imprensa, "o atraso se deve à necessidade de reforçar toda a parte estrutural do prédio. Além disso, outras fases do projeto, como acréscimos estruturais, poltronas, equipamentos e mobiliários diversos ainda não foram licitados, o que deve acontecer proximamente".
O Sesc avalia ainda o resgate e implementação de tecnologia que o Centro Cultural irá ganhar, o que não é feito tão rapidamente. "Além de resgatar a imponente obra arquitetônica, que é o Edifício Glória e seu teatro, que está sendo mantido em todas suas características arquitetônicas originais, tudo que de mais moderno em tecnologia será ali instalado", informa o comunicado da assessoria.

No local, serão oferecidas oficinas de arte gratuitamente, além de haver vários programas nacionais de cultura envolvendo literatura, música e artes cênicas. O Centro Cultural Sesc Glória terá duas dois teatros, o maior com capacidade para 680 lugares e o outro com capacidade para 84 lugares que será multiconfiguracional, ou seja, ele muda de acordo com o espetáculo.

O espaço também contará com duas salas de cinema, cada uma com 90 lugares e um museu da colonização do Espírito Santo. Biblioteca com cerca de 10 mil títulos, salas de aula, salas de edição e vídeo, café-bar com mezanino, salão de eventos, salão de dança de 105 metros quadrados, salas acústicas, laboratórios de informática e de multilinguagem complementam o que está sendo feito.

No último pavimento consta no projeto um bar panorâmico com jardim no terraço, que também funcionará como um mirante. "Não há no país um projeto cultural integrado como será o Sesc Glória, com vocação para ensinar teatro, música, dança. Haverá apresentações nacionais, mas a prioridade e a oportunidade são para os artistas capixabas. Vamos dar suporte para que cada vez mais artistas locais tenham destaque", finaliza o diretor regional do Sesc-ES Gutman Uchôa de Mendonça.



sexta-feira, 2 de março de 2012

Setran autoriza estacionamento aos sábados na avenida Princesa Isabel

Thalles Waichert
Carros passando pela avenida Princesa Isabel
O estacionamento na Princesa Isabel está liberado aos sábados sempre no período de 9h às 14h, nos dois sentidos da via
 
 
Com o objetivo de movimentar o comércio no Centro da capital, a Secretaria Municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana (Setran) autorizou, a partir desta sábado (03), de 9h ás 14h, o estacionamento do lado direito da avenida Princesa Isabel, nos dois sentidos.
 
 
O secretário municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana, Domingos Sávio Gava, explicou que até pouco tempo atrás os motoristas podiam estacionar ao sábados na avenida Jerônimo Monteiro, mas com o aumento do fluxo de veículos na via, a alternativa foi transferir a autorização para a Princesa Isabel.
 
 
"É uma solicitação e uma necessidade real dos comerciantes do Centro, para garantir o comércio na Região. Como ficou inviável manter a autorização de estacionamento na avenida Jerônimo Monteiro transferimos essa autorização para a avenida Princesa Isabel, onde o fluxo de veículos é menor", afirmou o secretário. A autorização só vale aos sábados e a sinalização já foi implantada.
 
 
Com edição de Deyvison Longui

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/secom.php?pagina=noticias&idNoticia=8009

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Vitória terá feira livre com produtos orgânicos na praça do Papa

Marcos Salles
Feirante entregando alimentos orgânicos à comprador
Na praça do Papa, serão montadas 22 barracas pradonizadas para vender produtos hortifrugranjeiros que não contêm substâncias químicas


Vitória vai contar com mais uma feira de produtos orgânicos a partir de 21 de março. A segunda unidade desse tipo vai funcionar na área de estacionamento da praça do Papa, de 17h às 20 horas, toda quarta-feira.
 
 
O projeto está sendo desenvolvido numa parceria das secretarias de Serviços de Vitória (Semse) e de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag).
 
 
A inauguração será às 17h do dia 21 de março e, assim, Vitória passará a contar com 18 feiras livres situadas em diversos bairros, dentro do projeto Feira Legal.
 
 
Para a nova feira na praça do Papa, serão montadas 22 barracas pradonizadas para vender produtos hortifrugranjeiros que não contêm substâncias químicas.
 
 
Os produtos serão comercializados pelos feirantes de Iconha, Santa Maria de Jetibá, Santa Leopoldina e Vitória, onde os produtos são cultivados de forma sustentável, respeitando as safras de cada espécie.
 
 
Segundo o secretário municipal de Serviços, Romário de Castro, a expectativa é bastante positiva quanto ao sucesso dessa nova feira, uma vez que os produtos orgânicos são recomendados para uma alimentação saudável e balanceada. A outra feira de produtos orgânicos de Vitória funciona no bairro Santa Luiza, aos sábados, de 5h às 13 horas, na rua Arlindo Brás do Nascimento.
 
 

Escolas já utilizam

Frutas e legumes de época cultivados sem agrotóxicos e outras substâncias sintéticas já fazem parte do cardápio dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis). Os alunos recebem duas refeições por dia preparadas com alimentos orgânicos, como abacate, banana prata, laranja, limão, morango, alface, couve, coentro, inhame e salsa.
 
 
Diversos alimentos orgânicos integram as refeições nas escolas municipais desde 2009. Além deles, a Prefeitura de Vitória adquire alimentos junto a cooperativas, pequenos produtores e empreendedores rurais do Estado. A lista de quase 50 itens é formada por vegetais como abobrinha, acelga, aipim, batata doce, beterraba, cebola, tomate, vagem e frutas.
 
 
Com edição de Deyvison Longui

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Exercícios físicos com orientação

Marcos Salles
Deck SOE da Praia de Camburi

O Serviço de Orientação ao Exercício (SOE) oferece aulas gratuitas de alongamento, ioga, hidroginástica, ginástica localizada e voleibol master (para maiores de 40 anos), além de caminhada e dança. As aulas são ministradas por professores e estagiários de Educação Física em módulos instalados em parques, praças e outros espaços públicos.
O serviço tem o objetivo de orientar e incentivar a prática regular e correta de exercícios; combater o sedentarismo e auxiliar na prevenção e tratamento de doenças crônico-degenerativas não transmissíveis. Qualquer pessoa pode participar: basta comparecer a um dos módulos, no horário das atividades. Não há limite mínimo nem máximo de idade.
 
 

Como funciona

Antes de iniciar a atividade física, o aluno passa por uma avaliação individualizada. A equipe do SOE verifica as condições físicas e de saúde do aluno, levando em consideração, entre outras coisas, os fatores de risco coronariano. Não havendo nenhuma restrição com relação à prática da atividade pretendida, a pessoa é liberada para frequentar as aulas.

 


SOE Móvel

Com o objetivo de ampliar o serviço, em março de 2006 foi implantado o SOE Móvel. Assim, as orientações para a prática de atividades físicas são levadas aos moradores com dificuldades de acesso a regiões onde os módulos do SOE estão instalados.
O Serviço de Orientação ao Exercício atua também nas unidades de saúde, onde são promovidas as mesmas atividades realizadas nos módulos do SOE. Além disso, são feitas visitas domiciliares e ações educativas.
Atualmente, 17 unidades de saúde oferecem esse serviço: Bairro República, Jardim da Penha, Santo André, Resistência, Fonte Grande, Vitória, Praia do Suá, Jesus de Nazareth, Santa Martha, Ilha de Santa Maria, Grande Vitória, Maruípe, Jardim Camburi, Consolação, Ilha do Príncipe, Alagoano e Andorinhas.
Além dessas unidades, também desenvolvem atividades os seguintes centros de referência: Centro de Atenção Psicossocial (Caps), Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (Capsi) e Centro de Prevenção e Tratamento de Toxicômanos (CPTT).
 
 

Fonte: http://www.vitoria.es.gov.br/semus.php?pagina=comoeoservico 



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Artesanato capixaba em exposição para os turistas de cruzeiros marítimos

Foto Divulgação
Loja de artesanato
Na lojinha podem ser encontrados vários artigos para presentes como a iconografia de Vitória e os pequenos souvenirs com motivos capixabas

Uma pequena loja de artesanato está instalada na área de recepção aos turistas que aportam em Vitória nesta temporada de cruzeiros marítimos.
Acompanhados e apoiados tecnicamente pela Secretaria Municipal de Trabalho e Geração de Renda (Setger) estão expondo, neste espaço montado no Armazém 5 da Codesa, seis artesãos que trabalham do Mercado São Sebastião, sendo um deles do Centro Público de Economia Solidária e dois expositores do Programa Artes na Praça, que acontece nos finais de semana na praça dos Namorados, na Praia do Canto.
Na lojinha podem ser encontrados vários artigos para presentes como a iconografia de Vitória e os pequenos souvenirs, que vão das tradicionais panelinhas de barro às camisas pintadas com motivos capixabas. Também estão em exposição joias artesanais produzidas com pedras semipreciosas.
Para a gerência do Programa de Economia Solidária da Setger esta é uma boa época do ano para os artesãos capixabas, pois, além da comercialização, eles também podem divulgar o artesanato da terra para fora do Estado. A loja de artesanato ficará aberta até o dia 16 de abril, quando o último navio da temporada de cruzeiros desembarca na capital.
Com edição de Deyvison Longui



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Guarapari


                                                                   Foto: Érika Mezabarba

Guarapari está no coração do Espírito Santo, em meio a uma paisagem natural única, onde a beleza do mar, praias e manguezais se une à beleza e charme das montanhas. Conhecida por suas praias maravilhosas, Guarapari vive hoje um novo momento de valorização de suas riquezas naturais, históricas e culturais.



Eu já fui:
Guarapari é uma das cidades mais famosa do nosso Estado, apelidada de "cidade saúde", pois a praia da areia preta é conhecida "pelo alto teor de radioatividade em suas areias que são escuras e ricas em monazita, acreditar-se ser benéfico para o tratamento de doenças como reumatismo e artrite, o que a torna procurada por idosos que se cobrem de areia em busca de suas propriedades medicinais. No final desta praia, vê-se um barranco de cores variadas, passando do roxo, avermelhado até o branco. É a conhecida batinga, barro moldável, que serve para esculpir objetos." (PMG).

Em época de verão a cidade fica cheiaaaa, formam-se filas nas padarias, supermercados... fica difícil estacionar! Se quizer escolher lugar na praia vá cedinho rs! Mas garanto que compensa, as praias são bonitas mesmo, a água é limpinha, azulzinha, não é quentinha!! rs Mas pelo ou menos refresca de verdade, garanto!!!! rs A minha preferida é a das castanheiras, a água lá é bem calminha ideal para as crianças!

Foto: Érika Mezabarba

Recentemente a cidade recebeu uma reforma na orla, agora o calçadão esta modernizado e equipado com quiosques bonitos, chuveiros, sanitários... E por falar nisso não posso deixar de dizer que sou SUPER contra a cobrança de R$1,00 para o uso dos banheiros. Existem pessoas que concordam, dizem que "se for de graça os usuários destroem", mas eu não concordo. Já pagamos tudo duas vezes aqui no Brasil: nossos impostos pagam por educação, saúde, rodovias de boa qualidade e nós pagamos educação particular, plano de saúde, pedágio... até um banheiro na praia construído e mantido com nosso dinheiro vamos precisar pagar para usar? É a mesma coisa de pagar tarifa para embarcar na rodoviária e para usar o sanitário ter que pagar também (2x). Fala sério né?

Foto: Érika Mezabarba

Uma coisa que me impressiona é como o setor público economiza lixeiras, vocês já perceberam? Sinto muita falta de lixeiras nas praias, as disponíveis não suportam a demanda causada pelo grande fluxo de turistas.

 Foto: Érika Mezabarba

  Foto: Érika Mezabarba

  Foto: Érika Mezabarba

Todo verão é montada uma feira de artesanato no Centro da cidade.
Uma coisa que sinto falta é que nem no verão nada acontece de animado no calçadão do Centro, nem à noite a prefeitura disponibiliza uns showzinhos e tal... Me disseram que na Praia do Morro até acontece alguma coisa (mas se vc ficar no centro não é pertinho não)!!!
Portanto não conte com um rock 0800 em Guarapari, a galera se manda para uma famosa casa de shows: http://www.multiplacemais.com.br/ no verão vem muito artista famoso: Ivete, Exalta samba... para todos os estilos!!!

Quer fazer uma viagem gostosa por Guarapari sem sair de casa e conhecer tudo que a cidade tem para oferecer, recomendo esses dois vídeos feito por minha amiga Raquel (Programa Gente na TV):

http://www.youtube.com/watch?v=MdfUDP5pJLk
http://www.youtube.com/watch?v=wswHsjzfNyk


Não posso deixar de comentar sobre a valsa de Guarapari, uma linda melodia, meu tio adora, canta ela todinha:

http://www.guarapari.es.gov.br/v3/index.php/conhecaguarapari/valsa-de-guarapari.html


Acesso:
A cidade limita-se ao norte com a Grande Vitória, a leste com o Oceano Atlântico e ao sul com a cidade de Anchieta.
Obs: Infelizmente ainda não existe opção de transporte do aeroporto de Vitória até Guarapari.