quinta-feira, 12 de julho de 2012

Antigo bonde está exposto na Casa da Memória

Texto: Lívia Albernaz / Foto: Zanette Dadalto e Eduardo Ribeiro

Casa da Memória - Imagem: Eduardo Ribeiro

Vila Velha é o berço da civilização capixaba. A história do Estado do Espírito Santo começou em um domingo, dia 23 de maio de 1.535, quando a caravela Glória, que trazia o português Vasco Fernandes Coutinho aportou na Prainha. E é na Prainha, com seus monumentos históricos, que toda história é revelada a turistas, jovens e crianças que buscam fora da sala de aula, descobrir um pouco do passado. São locais únicos como o Museu Homero Massena, Gruta Frei Pedro palácios e agora, uma novidade: o antigo bonde que circulava pelo município no século passado está exposto na Casa da Memória e aberto à visitação de segunda a sexta.
 
História do Bonde

Há 100 anos, Vila Velha era contemplada com um marco para a mobilidade e crescimento urbano do município com a instalação dos trilhos e bondes na cidade. E a época dourada em que muitos guardam em sua memória, está retratada em fotos e textos na exposição “100 anos de Saudade”, na Casa da Memória, Parque da Prainha. É sem dúvida uma viagem ao tempo, em fotos e textos.
 
No dia 12 de abril de 1912, dois bondes elétricos foram inaugurados em Vila Velha e cinco meses depois a empresa Viação Elétrica comprou mais dois conjuntos e uma gôndola. Os bondes circulavam por dez quilômetros de trilhos em Vila Velha. A inauguração do novo meio de transporte marcou uma era em que Vila Velha começou a crescer com a energia elétrica em 1910 e também em 1912, a instalação da água encanada.
 
A tripulação dos bondes - motorneiro, condutor, fiscal e fiscal geral - recebiam passageiros vestidos de uniforme cáqui e quepes. O motorneiro acionava e conduzia o bonde, o condutor tinha a função de cobrar as passagens e o fiscal, ficava na parte de trás. O percurso em Vila Velha era de 10 km de trilhos, por onde circulavam dois bondes. Um saía do Centro, outro de Paul, e o cruzamento dos dois acontecia na Estação de Aribiri.

O bonde e a exposição “100 anos de saudade” podem ser visitados de segunda a sexta, das 08 às 17 horas, na Casa da memória, Prainha
 
Casa da Memória

A Casa da Memória foi construída no final do século XIX (datada em 1893) e é tombada pelo Conselho Estadual de Cultura. No espaço, existe um acervo de fotos que tratam do sítio histórico da Prainha e adjacências, resgatando a história e memória do município e do Estado. E agora, o bonde, exposto no pátio da Casa da Memória atrai visitantes de todas as idades.
 
E essa época dourada, que muitos guardam em sua memória, também está retratada em fotos e textos na exposição “100 anos de Saudade”, na Casa da Memória, Parque da Prainha. É sem dúvida uma viagem ao tempo, em fotos. No local, com as imagens expostas que retratam a evolução do município ao longo dos últimos 100 anos, o visitante poderá conhecer um pouco da história da cidade, com acervo histórico e cultural sobre a colonização do solo Espíritossantense.
 
O turista paulista, Rogério da Costa Melo, é professor de história e está pela segunda vez em Vila Velha e fala da importância em realizar o resgate histórico. “Muito legal ver de perto o bonde e poder fazer essa viagem histórica; desde quando o bonde era puxado por burro até sua extinção na cidade.”, comentou.
 
Além dos turistas, a Casa da Memória tem recebido alunos das escolas, como a turma do 4º e 5º ano do Núcleo Educacional Piaget. A professora Helaine de Menezes disse que a visita faz parte de atividades extraclasse. “ Estamos visitando os pontos turísticos de Vila Velha e contando para os alunos toda a histórica do município. As crianças estão aprendendo muito.”, contou.
            
Mais informações: (27) 3388-4344.
 
Fonte: http://www.vilavelha.es.gov.br/noticias/antigo-bonde-esta-exposto-na-casa-da-memoria-2502
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo contato!