sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Turistas e moradores podem fazer visitas monitoradas ao Centro histórico


Turistas e moradores contam com visitas monitoradas gratuitas no Centro histórico de Vitória. Dos 51 pontos turísticos e culturais que integram a área, sete são monitorados pelo projeto Visitar e ficam abertos à visitação de terça a domingo, inclusive feriados, das 9 às 17 horas.
Veja detalhes no vídeo ao lado.
O atendimento é realizado por monitores capacitados que apresentam aspectos históricos, arquitetônicos e culturais de cada espaço. Também está disponível para o visitante o Mapa do Centro histórico (bilíngue), além de um folder de cada monumento.

Sobre o Centro

Vitória é uma cidade de antigas edificações. Mesmo antes de tornar-se a capital do Espírito Santo, seu território já comportava capelas, fortes e espaços hoje transformados em monumentos históricos que trazem à ilha a história da dominação, da luta dos nativos e do desenvolvimento. O patrimônio histórico do Centro é mais antigo do que os das cidades de Ouro Preto (MG) e de São Paulo (SP).
Ao chegar ao Centro de Vitória é possível encontrar construções em excelente estado de preservação, datadas a partir da primeira metade do século XVI, quando foram construídas, após o rei português Dom João III ter introduzido o sistema de donatários para cada Capitania - faixas de terra traçadas do litoral até a linha imaginária estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas.
A Capitania do Espírito Santo ficou sob o comando de Vasco Fernandes Coutinho, que iniciou a administração, colonização, proteção e desenvolvimento da região, conforme os objetivos de dominação da casa real portuguesa.
Assim, antes mesmo de a cidade de Vitória ter sido fundada, a Capela de Santa Luzia foi construída por Duarte de Lemos, provavelmente após sua chegada à capitania, em 1537. A capela foi erguida sobre uma pedra, na região atualmente chamada de Cidade Alta. É a construção mais antiga de Vitória. Somente 17 anos depois, em 1554, a pouco menos de mil quilômetros de distância de Vitória, os jesuítas construíram o edifício de um colégio, marcando o início da cidade de São Paulo.
A pequena igreja do Centro de Vitória é ainda mais antiga do que a cidade colonial mineira de Ouro Preto, tida como uma das mais antigas do Brasil. Ouro Preto surgiu com o nome de Vila Rica entre 1693 e 1698, provavelmente a partir de uma expedição comandada pelo bandeirante Duarte Lopes. Ou seja, Ouro Preto surgiu 130 anos após a construção da Capela Santa Luzia.

Traçado colonial

Vitória foi fundada oficialmente no dia 8 de setembro de 1551. A cidade manteve seu traçado colonial até o início do século XX, quando foram produzidas mudanças urbanas e o perfil do território foi alterado por grandes aterros e obras viárias. Apesar dessas grandes transformações urbanas, a área central conservou um grande acervo cultural, com patrimônios datados dos séculos XVI ao XX, por meios dos quais a memória da sociedade capixaba encontra grande parte de sua história.
As mudanças urbanísticas no Centro de Vitória, principalmente a partir da década de 50 do último século, acompanharam a nova função comercial estabelecida para a região, transferindo-se para área norte da cidade a maioria das habitações.

Informações

Mais informações sobre o projeto Visitar podem ser obtidas pelos telefones (27) 3235-7078 e 3235-2002, de segunda a sexta-feira, das 9 às 13 horas e das 14 às 18 horas ou pelo e-mail projetovisitar@vitoria.es.gov.br
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo contato!