terça-feira, 22 de novembro de 2016

É de graça! Confira as regras para visitar o Farol de Santa Luzia em Vila Velha



As intervenções e adequações foram feitas com recursos originários de convênio entre a Prefeitura de Vila Velha e o Governo do Estado, no valor de R$148.188.87


Visitantes podem visitar gratuitamente o espaço histórico reformado em Vila Velha
Foto: Divulgação/Prefeitura
Depois de mais de 10 anos fechado para visitação, o Farol Santa Luzia foi reaberto e os capixabas formaram filas para visitação. Um dos pontos turísticos mais bonitos do Espírito Santo, o Farol está localizado na Praia da Costa, em Vila Velha. O espaço reabriu após as intervenções e adequações que foram feitas pela Prefeitura de Vila Velha e o Governo do Estado.
A visitação poderá ser feita de terça a domingo, das 9h às 16h30 e grupos de até 25 pessoas de cada vez poderão permanecer no espaço por 20 minutos. A entrada é gratuita. O espaço está todo remodelado para receber os moradores e turistas. Um deque com leme que simula uma embarcação e a exposição permanente de vários tipos de nós de Marinha são as grandes novidades da reestruturação, que também contemplou a pintura do farol. Além disto foram realizadas obras de acessibilidade e segurança no local.
O Farol Santa Luzia foi erguido em 1870 e inaugurado em 1871. Tem 17 metros de altura e alcance de 32 milhas marítimas. É iluminado por lâmpadas 300 watts e quatro focos servindo de orientação para navegação direcionada aos portos de Vitória, Vila Velha e Tubarão. Em julho do ano passado foi assinado o Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de Vila Velha e a Capitania dos Portos, que permitiram as intervenções necessárias para visitação. As obras, na ordem de R$148.188.87, foram executadas pela empresa BC Engenharia e Arquitetura Eirelli, vencedora da licitação.
Confira as regras de visitação:
1.     A visita poderá ser feita por grupos de no máximo 25 pessoas, podendo permanecer no local durante 20 minutos;
2.     Escolas e grupos maiores de 25 pessoas devem agendar previamente a visita.
3.     Está impedido acesso ao local de pessoas em traje de banho, sem camisa e/ou vestindo roupa inadequada a uma organização militar;
4.     Menores de idade devem estar sempre de mão dada com um adulto;
5.     A visita se limita ao espaço demarcado garantindo a segurança.
6.     Não é permitida a entrada no Farol.

Fonte: http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2016/11/e-de-graca-confira-as-regras-para-visitar-o-farol-de-santa-luzia-em-vila-velha.html

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Agora ficou mais fácil sair de casa em Vitória - UBER começa hoje


Veja quais serão os valores do aplicativo Uber em Vitória


A capital do Espírito Santo é a 19ª cidade a receber a Uber e a primeira do Brasil a ter regulamentado o serviço antes mesmo da chegada da empresa


Depois de uma longa novela, enfim, o serviço de transporte particular da empresa Uber chegará à Vitória nesta terça-feira (13). A previsão é de que o serviço esteja disponível a partir das 14 horas.
A Uber é conhecida por oferecer um preço mais barato pelo transporte. O cliente solicita o serviço pelo aplicativo da empresa, que pode ser baixado gratuitamente pela loja da Apple ou do Google.
De início, a empresa disponibilizará apenas o Uber X, modalidade mais barata da Uber, que usa carros de ano a partir de 2008, com quatro portas e ar condicionado. O preço, pago com cartão de crédito, é calculado da seguinte forma: o cliente paga R$ 2 pela chamada, mais R$ 1,12 por quilômetro e R$0,20 por minuto.
O próprio aplicativo faz uma estimativa de preço quando o cliente coloca o ponto de início e destino da corrida.
"A missão da Uber é oferecer um transporte acessível e confiável para o maior número de pessoas possíveis. Uber X é um desses produtos mais acessíveis", comenta o diretor de comunicação Fábio Sabba.
A capital do Espírito Santo é a 19ª cidade a receber a Uber e a primeira do Brasil a ter regulamentado o serviço antes mesmo da chegada da empresa. Segundo o diretor de comunicação da empresa, a Uber encontrou um ambiente de inovação na cidade, fator determinante para a vinda do serviço.
"É a primeira cidade que já tem uma regulação positiva do serviço. Ou seja, a Uber ficou vendo o debate que estava acontecendo desde o ano passado. A partir disso que a gente resolveu pensar em lançar aqui em Vitória. Exatamente pelo ambiente de inovação que a gente encontrou aqui na cidade", declarou Sabba.
Em entrevista concedida ao Gazeta Online, o diretor explica como funciona o serviço e o cálculo do valor da corrida.

Fonte: http://www.gazetaonline.com.br/_conteudo/2016/09/noticias/cidades/3975426-veja-quais-serao-os-valores-do-aplicativo-uber-em-vitoria.html

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Como utilizar "Bike Vitória"? Eu testei!!!


Domingo de manhã testando a bike Vitória

Se você ver por aí uma aglomeração de pessoas com celular nas mãos, próximo de uma estação do projeto bike Vitória, saiba que eles não são caçadores de pokemon, são caçadores de uma bicicleta disponível, verdadeiros guerreiros!!!!

Quando vi a propaganda desse serviço, achei que o objetivo era oferecer as pessoas a opção de usar as bikes com facilidade, como meio de transporte, substituindo por exemplo o uso de carros e coletivos. Por exemplo você esta na rua o ônibus demora, vai lá e pega a bicicletinha... Mas, infelizmente não é simples assim, não basta ir até as bikes, inserir umas moedas, ou o cartão do ônibus, ou o seu cartão bancário e sair pedalando não, não, não!!!! Bem vindo ao mundo da burocracia!!!

Infelizmente primeiro você se surpreenderá com o valor, enquanto a passagem de ônibus custa R$2,70, o passe minimo corresponde a uma diária no valor de 5,40. Para utilizar o sistema via cartão de ônibus é necessário fazer um cadastro no SETPES. Aff... sem comentários!!!

Eu precisava saber qual a validade dos passes, também não encontrei essa informação no site, enviei e-mail, chega a resposta rápido: 24 horas. Fala sério... então eu tenho que me programar com antecedência para usar essas bikes, já que se eu adquirir o saldo de diária com antecedência eu só posso utiliza-lo até as próximas 24h. Acho que é uma maneira de forçar o usuário a comprar o plano mensal ou anual! 

Fui pesquisar sobre o funcionamento do sistema, descobri pela tv e no site do projeto que:


De segunda a sábado:
- VIAGENS DE ATÉ 60 MINUTOS NÃO SAO TARIFADAS, desde que sejam realizadas com intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas; 

Aos domingos e feriados municipais, estaduais e federais:
- VIAGENS DE ATÉ 90 MINUTOS NÃO SÃO TARIFADAS, desde que sejam realizadas com intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas;


Aí pensei, ótimo... vou usar por pouco tempo, não vou precisar fazer o cadastro burocrático... e não vou ter custos. Porém você só usufrui do serviço gratuitamente se tiver cadastro e saldo. Ou seja acaba não sendo gratuito, pois obrigatoriamente você precisa adquirir o valor mínimo de R$ 5,40  e esta opção miníma tem prazo de validade de 24h apenas. 


Lembrando que não tem posto dessas bikes em todas as avenidas, se você exceder os 60 min. sem trocar de bike é cobrada a diária. Um grande problema é a pequena quantidade de estações e bicicletas, que não atende a uma cidade populosa como Vitória, isso faz com que seja bem difícil encontrar uma bike disponível! E não existe 1 minutinho de tolerância para devolução da bike, passei 30 segundos do tempo e meses depois apareceu uma cobrança no meu cartão de crédito de R$10,80 em nome de "bike Recife", levei um susto, achando que meu cartão havia sido clonado, fui investigar descobri que a sede da Empresa fica em Recife e que o procedimento da Empresa é esse mesmo: eles não te avisam que você ultrapassou o tempo, você simplesmente se depara com essa cobrança meses depois na sua fatura! Revoltante né?

Sobre o cadastro...não é muito simples, nem rápido, nem tão acessível, digo isso porque você precisa possuir:

PARA SE CADASTRAR:
Acesso a internet http://www.bikevitoria.com/ ou via aplicativo de mesmo nome;
Cartão de crédito;
Telefone fixo (pré-requisito no cadastro);
Pagar pelo serviço diário, mensal ou anual. 




PARA UTILIZAR O SERVIÇO:
Cadastro no sistema "bike vitória"
Via aplicativo do celular: sistema androide, (meu namorado tentou IOS não conseguiu);
Via ligação de celular: crédito no telefone (pois a ligação é tarifada);
Telefone carregado, se não você fica na mão;
Muita paciência!!!!


Complicado para a população de baixa renda que não possui celular de modelo android, acesso a internet, telefone fixo e cartão de credito.

O site fornece apenas informações básicas e não é muito explicativo. Até para ler as informações básicas do site, você precisa também se cadastrar. Para fazer o cadastro você precisa possuir um número de telefone fixo, pois sem número de telefone fixo o sistema não gera seu cadastro. Eles nem consideram que em pleno séc. XXI as pessoas não tem mais fixo em casa, somente celular.

O aplicativo também não é fácil de utiliza-lo, a interface não é explicativa, um idoso por exemplo que não tem muita afinidade com a tecnologia, dificilmente conseguirá usar. Presenciei muitas pessoas com dificuldades em utilizar o aplicativo, elas possuíam credito, mas não sabiam como utilizar. Outras se aproximavam pedindo informações de utilização.

Enfim.. fazendo o cadastro você recebe um código via celular, digita esse código no cadastro, recebe um link por e-mail para clicar e validar o cadastro. Com o cadastro concluído, aparece o desenho de um celular na tela do seu computador, clico em adquirir passe. Quero saber se com um único cadastro posso pegar mais de uma bicicleta, não encontro essa informação. Envio e-mail, respondem rápido, ponto positivo... Me responderam que posso sim pegar duas bikes, desde que eu tenha o valor de dois passes no meu saldo. Compro o passe mensal de R$10,80, (que no meu entendimento corresponde ao valor de dois passes de 5,40) e tento retirar duas bikes para pedalar com meu namorado, descubro que é necessário adquirir dois passes (diário, mensal ou anual). Ou seja, você pode ter comprado o passe anual, possuir saldo de 67,50 que você só conseguirá pegar uma bike, para retirar mais e você pode retirar até 5 bikes, é necessário que você adquira por exemplo: 5 passes diários, ou 5 passes mensais ou 5 passes anuais. 

Então pego o celular para adquirir mais um passe, os dados do meu cartão de crédito não ficam salvos no aplicativo, aliás nem mesmo o login fica salvo no aplicativo, todas as vezes que você precisar acessar o aplicativo precisa logar com sua senha, eles argumentam que é questão de segurança em caso de roubo do celular. O que não me convence, já que uso senha para bloquear a tela do celular e se o bandido quiser utiliza-lo, terá que formatar o aparelho, apagando todos os dados. Já que preciso do número do cartão de crédito de novo, voltei em casa para inserir os dados do cartão, após comprar mais um passe mensal, retorno na estação para retirar a bike.

Encontrei uma fila enorme, em todas as estações da Praia de Camburi! Se fosse só a fila ainda seria tranquilo... o problema é a confusão... como toda fila é necessário o bom senso, a educação, o respeito... infelizmente, assim como na política, estamos também rodeados de corruptos no nosso dia a dia, corrompendo até mesmo um sistema de fila.


Fonte da imagem: http://www.folhadiaria.com.br/materia/74/2558/cidades/noticias/bike-vitoria-cinco-estacoes-sao-instaladas-na-capital#.V8WTpvnR_IU


Como só consegui uma bike na primeira estação em que parei, fomos para uma outra e aguardávamos na fila, pois não havia bikes disponíveis... Presenciei a cena de mãe e filha que aguardavam a 40 min. por duas bikes... Elas estavam na nossa frente na fila, exaustas por esperar tanto tempo, quando finalmente duas pessoas devolveram duas bikes. A mãe utilizando o celular liberou uma bicicleta e estava com dificuldades em desbloquear a outra. Uma moça se aproximou com o celular nas mãos e ignorando todas as demais pessoas da fila, tentava desbloquear a bicicleta que a mãe da menina tentava desbloquear, já segurando-a. Quando a mãe percebeu, não acreditou no que via e acabou exaltando-se um pouco com a moça que furava a fila, que respondeu ainda se achando na razão, argumentando que era um aplicativo livre. Como outras pessoas da fila apoiaram a senhora, a moça desistiu e se retirou do local. Triste né? Ver que no nosso Brasil, a população reclama dos políticos, mas agem na esperteza o tempo todo, querendo levar vantagem, passando por cima de todos! Dane-se o outro, eu em primeiro lugar! São pessoas que pensam "o mundo é dos espertos" e não se importam com os demais! Muito triste mesmo!!!!

Infelizmente em todas as estações, existem uma ou duas bikes com problemas: pneu furado ou vazio, corrente que saiu... Não sei com qual frequência fazem a manutenção, mas percebe-se que tem deixado a desejar.

Agora também existe uma central de atendimento via whatszap: 81 99195-5213, eles respondem na hora, porém a eficiência da resposta dependerá do atendente... a primeira vez que utilizei o serviço o atendente que me atendeu, só copiava os textos confusos do site e me enviava, parecia que eu estava falando com uma máquina. Da segunda vez a pessoa se identificou pelo nome "Elizabeth" e esclareceu minhas duvidas objetivamente. Um abraço para você Elizabeth!!!! ;)



Após a burocracia do cadastro e se habituar com o aplicativo fica mais fácil. Minha amiga mesmo também disse que achou a parte do cadastro bem complicado e chato, também teve muitas dúvidas, também não achou o aplicativo fácil de usar, porém adorou usar as bicicletas e tornou-se uma usuária frequente!

Fica a dica: Domingo de manhã, conseguir uma bike já é difícil, duas só se você tiver muita sorte e ser persistente!!! Para utilizar o sistema sem dor de cabeça, saia de casa com: cartão de crédito em mãos, celular com carga total na bateria, crédito para ligações, internet móvel disponível no seu aparelho. 

A utilização do cartão do sistema de ônibus seria muito eficiente se não precisasse de cadastro, ou se esse cadastro fosse possível fazer pela internet, pois ir até o SETPES é totalmente inviável!

Entendo que parte da burocracia, deve-se a necessidade de segurança do sistema, para prevenção de usuários que depredariam ou nem devolveriam as bikes. E se tem muita gente que ainda não sabe respeitar fila, infelizmente também pode existir o caso de se aproveitar de um sistema mais acessível e furtar as bicicletas!

A iniciativa é boa, toda cidade deveria ter esse sistema de bike compartilhada! Porém aqui em Vitória o serviço precisa ser ampliado, o site e o aplicativo precisam de uma interface mais clara e objetiva, facilitando o uso! Seria muito útil se nas estações existisse uma bombinha, para encher os pneus vazios e um telefone para entrar em contato com o sistema! 

Com a frustração pelo serviço do bike Vitória, muitas pessoas decidiram comprar suas próprias bikes, já que é um pouco complicado utilizar o serviço! Bem mais simples mesmo comprar uma bike!

Maiores informações: http://www.bikevitoria.com/

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Comer Zen: Alimentação saudável vegetariana

Lanchonete e Restaurante

“A proposta é oferecer o máximo de alimentos orgânicos possíveis... No Comer Zen não são utilizados óleos vegetais! Apenas o óleo de coco, que ao receber altas temperaturas não se transforma em gordura saturada, como os óleos comuns.

O sal refinado foi substituído pelo sal do Himalaia de altíssima qualidade, um nutriente que auxilia na saúde vascular, reduz os sinais de envelhecimento, promove padrões de sono mais saudáveis, aumenta a libido, previne câimbras musculares, aumenta a hidratação, fortalece os ossos, reduz a pressão arterial entre outros benefícios! As saladas são temperadas com limão, um alcalinizante natural. O objetivo do local é manter as deliciosas coisas da vida, acrescentando a elas produtos mais saudáveis, por um preço justo!”



Eu já fui:
Quando fico sabendo de um local que vende comida saudável, vegetariana, quero ir lá conhecer... Sinto um clima diferente no local, um cheiro de comida que lembra aroma de flores, fico encantada, na verdade extasiada...

Quando fiquei sabendo do “comer zen”, fiquei muito curiosa e ansiosa para conhecer. Entrei em contato com o Rafael (proprietário), que abriu as portas para o blog!!! Foi conversando com ele que conheci a história do local, na verdade, O RESTAURANTE FUNCIONA DENTRO DO MARZEN (referência em bem estar no Estado), o marzen funciona há 9 anos.

Fachada do Marzen


Entrada lateral do Restaurante Comer Zen


Restaurante Comer Zen

Tudo começou quando Rafael veio de Curitiba para morar no Estado a trabalho, possuía familiares por aqui, gostou das terras capixabas. Por já ter utilizado serviços de terapias, Rafael sentia falta de um local especializado nesse tipo de serviço por aqui, foi assim que tornou-se empreendedor e nasceu o Marzen em 2008, com a proposta de spa urbano. Em 2012 o negócio ganhou um sócio, o Erico (meu xará), que era cliente do local. 

Atualmente o Marzen oferece tudo para você que deseja ficar “zen”: Dança do ventre, terapias energéticas, yoga, nutrição, acupuntura...

Objeto de decoração do local

Rafael e Érico ainda sentiam falta de mais um detalhe: local com comida saudável, por isso começaram a preparar comida ali mesmo, também para os funcionários. Notaram que os clientes tratavam o corpo, a mente e também procuravam por um cardápio leve e sem carne. Assim Iniciaram com o “café zen”, que evoluiu para restaurante “comer zen”, já faz um ano que o restaurante é referência de comida saudável em Vila Velha. A chef de cozinha Madalena prepara tudo com muito amor e carinho, recebe cada cliente com um sorriso enorme e acolhedor, mostra a horta do restaurante com orgulho. 

Chef Madalena


Madalena é um exemplo de como as coisas simples da vida nos faz feliz, o segredo é trabalhar com amor, esse é o ingrediente principal utilizado na cozinha do restaurante.


Horta orgânica do restaurante


O cardápio do almoço





Em destaque na foto o salpicão vegetariano

Nota-se que a comida é fresquinha, a maça do salpicão veio crocante, tudo quentinho, arroz soltinho e molhadinho, uma comida realmente suculenta! Como diz meu namorado vegetariano: “sem crueldade animal”!

Nesta foto é possível ver o feijão (servido na tijela)

Apenas R$15,00 a refeição, considero o preço justo pela qualidade da comida, sabemos que em outros lugares comida saudável é muito mais caro! Recomendo o suco de abacaxi com maracujá, uma delícia: R$6,00

Este é o cenário que você aprecia durante seu almoço!


Torta integral vegana de banana: R$4,00, tem como ingredientes:
 Banana, açúcar mascavo e trigo integral.


Torta de banana: sobremesa saudável e deliciosa!!!

Uma boa notícia para você que não tem tempo para cozinhar, o kibe (prato principal da casa), também pode ser adquirido congelado. Para saborear no conforto da sua residência ou presentear os amigos. Somente R$6,00, também tem escondidinho de aipim assado, pelo mesmo preço!

Congelados à venda

Para os chocólatras, brigadeiro de cacau R$3,00


Saí do marzen triste, porque fiquei com vontade de morar lá, de fazer todas as terapias, dança do ventre... e só comer aquela comida da Madalena!!! Lá dentro por alguns minutos você esquece da vida do lado de fora, ali...naquele ambiente verde e fresco no meio da cidade, que me lembra o aconchego da casa dos meus pais no interior. Ao sair para a rua, de volta a realidade, fica a sensação de leveza, aquela energia boa... exalando do coração... aquele gostinho de “quero mais”.... de que “tenho que voltar aqui com o fulano, a fulana....” tenho que ligar para a Willy e para a Cris, para contar deste lugar! E mesmo saindo às pressas, pois dei-me conta de já ter ocupado muito o Rafael, Erico e a Madalena com tantas perguntas, confesso que realmente saí de lá totalmente zen!

A tendência é de que as pessoas procurem mais estes serviços e este tipo de alimentação, por isso vejo o marzen com um grande potencial de levar luz aos que precisam! Todos nós nascemos com uma missão, com certeza a do Rafael, Erico e Madalena é mais que trabalhar no setor de empreendedorismo e serviços, mas sim de emanar luz para todos que passam por ali! 

Rafael proprietário 

Como blogueira sinto-me realizada por ajudar divulgar este local, para que muitas outras pessoas leiam este post e vivenciem também esta experiência. O blog deseja muito sucesso de luz ao Rafael, Erico, Madalena e toda equipe Marzen!

Serviço de almoço:
Segunda à sexta das 11:30  às 14:30

Consulte o menu do dia pelo whatzap 27 98179-0016

Valor: R$15,00 por pessoa.

Serviço de lanchonete:

Segunda à sexta das 09:00  às 18:00

Aceitam encomendas e realizam entregas para algumas regiões
Como chegar:
Rua Vinícius Torres, 635 - Praia da Costa
Vila Velha - ES
CEP 29100-430
Chegando em Vila Velha pela terceira ponte, após o radar dobrar à direita, segunda á esquerda, seguir reto.

Contato:
(27) 3329-3708

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O que vi na Festa do Morango - Pedra Azul - 2016

Belezas Naturais, Aromas e Sabores


Pedra Azul é uma região de belezas naturais mágicas, possui um dos 3 melhores climas do mundo e é a segunda maior cobertura da Mata Atlântica do país. Tem como principal símbolo e cartão postal a Pedra Azul, uma formação de granito e gnaisse de 1.822 m de altitude que adquire coloração azul e esverdeada conforme a incidência da luz solar.
Pousadas requintadas constantes do Roteiro do Charme ou somente intimistas e aconchegantes, restaurantes laureados ou simplesmente típicos ou caseiros, o Charme é uma constante em Pedra Azul. A região está se preparando cada vez mais para ser um destino turístico consolidado, de abrangência nacional e internacional, com vocação em enologia, gastronomia, turismo de contemplação e esportes de aventura.
Com predominância alemã, já foi eleita a Cidade Mais Romântica do Brasil e é mundialmente conhecida pelos eventos culturais, festivais e corais. Cultua fortemente as tradições italianas, que também exercem grande fascínio sobre os turistas.
Fonte: http://www.pedraazul.com.br/website/Site/Regiao.aspx
   
   



Eu já Fui:
A Festa do Morango é tradicional na Região, popular em todo o Estado, em agosto de 2016 foi realizada a 29ª edição. Infelizmente não encontrei a História da Festa (como surgiu, quem iniciou...), nem no site da Prefeitura, nem no site da organização, nem no google...Juro!!!! 
Mas enfim... faz muito tempo que eu estava curiosa para conhecer esta festa, principalmente porque amo morango, que combina muito com chocolate e nutella, o que já torna o morango totalmente perfeito! Rs E estava curiosa também, por ter conhecido a Festa da Polenta e ter amadoooooo, inclusive me emocionado com aquela linda festa.. Então pensei... "Eu gosto de polenta, se na festa da polenta eu chorei emocionada, então na morango que eu adorooo, vou me emocionar ainda mais... que festa linda deve ser!"  
No domingo de manhã saímos de Vitória, chegamos na cidade cedinho, umas 9h30, ao chegarmos próximo ao Morangão (Centro de Eventos da cidade), meu namorado analisa o tamanho do local do Evento e diz "vamos caminhar um pouco, esse espaço da festa parece pequeno e temos o dia todo para conhece-lo depois!" Ok! Vamos lá ... e após 2h30 de caminhada dei-me conta de que eu era uma sobrevivente da Rota do Lagarto a pé, sim, andamos 8 km. Só recomendo se você estiver equipado com tênis, chapéu e protetor solar. Sem chapéu senti um pouco de dor de cabeça, por conta do sol quente!

A Rota do Lagarto é um caminho bonito, não vou me aprofundar no assunto, porque renderá outra postagem!
Retornamos para a cidade, chegamos as 14h30 aproximadamente, para nossa decepção, fecharam a entrada do Morangão, com o argumento de que estava tumultuado, devido ao grande número de pessoas. Um dos organizadores estava na porta tentando explicar a situação. Ficamos aguardando do lado de fora, como centenas de outras pessoas, na esperança de conseguir entrar um pouquinho!


Após o corte da torta gigante às 15h, o local ficou um pouco mais vazio, liberaram a entrada gratuitamente, (quem entrou antes pagou 15,00). A polícia revistava todos que entravam, afinal uma confusão ali seria um caos, com tanta gente em um espaço tão pequeno. Na verdade nem é tão pequeno, porém não é tão estruturado quanto o Polentão (Local da Festa da Polenta). O que acontece é que o Morangão não tem uma cobertura fixa e as instaladas, cobriam uma pequena parte do local,


Como ninguém queria ficar no sol quente, uma grande área em céu aberto, ficava vazia!


Fiquei com muita pena das pessoas, principalmente das crianças que se apresentavam naquele sol forte. Inclusive as apresentações no palco (coberto), deixava as crianças totalmente expostas aquele calor.
Queria ter curtido as apresentações de danças, mas infelizmente as apresentações que não eram feitas no palco, era impossível visualiza-las, pois com a aglomeração das pessoas, todas em um mesmo nível, era bloqueada a visão. O que não ocorre na Festa da Polenta, onde os dançarinos ficam em um nível acima do público, para facilitar a visualização.


A desorganização era visível nas filas, no tumulto para comprar fichas, aliás esse foi um outro problema, não foi padronizado vendas com fichas ou sem fichas... Alguns stands você comprava diretamente ali, já outros era necessário comprar a ficha.
E os artesanatos? Pensei que iria encontrar artesanatos com tema de morango, assim como vi na Festa da Polenta, porém fiquei um pouco decepcionada quanto a isso, pois havia pouco artesanato e estavam vendendo também objetos que não combinavam com o objetivo da festa, inclusive pareciam ser "piratas": bancas de óculos, roupas, bonés... enfim... 
Da torta não posso reclamar, embora fosse realmente muito grande, estava saborosa, vi muitas pessoas com embalagens de viagem, levando uma quantidade grande para a casa. O pedaço foi vendido a R$5,00, um tamanho bem generoso.




Estão vendo o monumento de morango? Super disputado para fazer uma fotinha!

Além da Torta de morango, provamos o fundue R$8,00. Claro de tanto ver morango, bateu uma vontade louca de morango com chocolate!!!




Um evento que acontece há tantos anos, é de se esperar que tudo aconteça de um modo mais organizado. A fama da Festa do Morango cresceu muito, atraindo a cada ano um número maior de pessoas, infelizmente o Evento não acompanhou esse crescimento, não se adaptou ao crescimento do público. Achei a Festa muito comercial, esperava mais atrações típicas da região, mais artesanato... Enfim... mais valorização da cultura da região. Acredito que os organizadores estão pensando em uma solução para a 30ª Festa. É um Evento de grande potencial turístico. Parabenizo a todos os voluntários que trabalharam na Festa por amor a este Evento! Desejo todo sucesso do mundo a Festa do Morango!
Localização 
Pedra Azul pertence ao município de Domingos Martins – ES,  A Vila de Pedra Azul está distante 50 km da sede de Domingos Martins e se situa a poucos minutos de Venda Nova do Imigrante, a Capital Nacional do Agroturismo, de predominância italiana.
Como chegar?
Encontrei neste site todas as dicas para quem saí de Vitória:
http://jodelson.com/dicasdeviagem/como-ir-de-vitoria-domingos-martins/

Contato:
Site do Evento: http://afemor.blogspot.com.br/

Funcultura: Exposição “Fermento: do ar ao seu redor” estreia na Galeria Homero Massena em setembro

A beleza que se extrai nas produções da arte contemporânea hoje envolvem diferentes materiais e procedimentos técnicos, muitos deles idealizados e criados pelos artistas. Um harmonioso exemplo é a nova exposição da Galeria Homero Massena “Fermento: do ar ao seu redor”, de Joana Quiroga, que estreia no dia 13 de setembro, às 19 horas. Uma obra que leva ao expectador de uma forma poética à capacidade de tornar visível aquilo que não se pode ver. Neste trabalho, a fermentação é uma metáfora sobre a possibilidade de geração de algo extraordinário a partir de elementos simples. A entrada para a exposição é franca.
O ambiente na Galeria contará com alguns objetos interativos e a presença do público também será “capturada” por meio do cultivo de um novo fermento feito durante o período expositivo. Segundo a artista, além dos objetos haverá um conjunto de diversas linguagens que ajudam a elucidar a autenticidade de cada um dos fermentos. “A exposição vai contar com fotos, vídeos, instalações com áudio, objetos, e imagens de microscópio dos fermentos que, junto a anotações, relatórios de laboratório e outras coisas que colecionei, formarão uma espécie de mapa dos locais em que o trabalho foi elaborado, a partir das diferentes características e histórias de cada fermento”, enfatiza Joana.
Para a exposição, Joana Quiroga cultivou três colônias de fermento para pão cujas matrizes foram capturadas em diferentes lugares da Grande Vitória: em Ataíde, Vila Velha, o fermento foi criado em uma vivência coletiva junto ao Banco Comunitário Verde Vida; na Lagoa do Juara, na Grande Jacaraípe, Serra, o cultivo ficou sob os cuidados da Associação de Artesãos local; já o terceiro, foi feito na casa da própria artista, no Centro de Vitória.
Sobre a artista
Graduada e mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo, seu trabalho no mundo artístico iniciou-se em 2010, motivada por seu interesse em Arte Urbana. Entre seus trabalhos mais recentes constam residências artísticas e exposições coletivas em parceria com o artista Fredone Fone, no Brasil e na Europa. A exposição “Fermento: do ar ao seu redor” foi um dos projetos contemplados pelo Edital nº 15/2015 do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo e contou com a orientação do professor do Departamento de Artes da Ufes Carlos Eduardo Borges.
Serviço
“Fermento: do ar ao seu redor”
Abertura: 13 de setembro de 2016, às 19h
Visitação: 14 de setembro a 10 de dezembro de 2016 - de segunda a sexta-feira
Horário de funcionamento: das 9 às 18h
Local: Galeria Homero Massena / Rua Pedro Palácios, 99 - Cidade Alta, Vitória
Entrada franca.




terça-feira, 9 de agosto de 2016

Palácio Anchieta: o universo poético da Exposição “Constelações”, de Hilal Sami Hilal


     
Os visitantes do Palácio Anchieta podem se preparar para uma experiência poética, que leva a reflexões sobre identidade, a memória e o afeto. Isto e muito mais está na exposição “Constelações”, trabalho do artista plástico capixaba Hilal Sami Hilal. O evento de abertura da exposição acontece no Espaço Cultural do Palácio Anchieta, no próximo dia 4 de agosto, às 18h30.
A mostra conta com três grandiosas instalações, que unem a um objeto-livro. “Para o meu amor passar” é a instalação que recebe os visitantes e os conduz ao universo poético do artista. Inspirada na cantiga popular, a instalação "Se essa rua fosse minha" ocupa uma área de 250 metros quadrados, com 40 mil “pedrinhas de brilhante” incrustadas em oito mil ladrilhos cinza chumbo. A obra, que não tem um percurso definido, evoca lembranças e inquietações subjetivas.
Antes de chegar à obra-título, a exposição tem dois outros trabalhos monumentais, que fazem parte da série “Deslocamentos”. O primeiro é uma “piscina” – obra inédita – com 5,6 metros de diâmetro. Na água, papel macerado, glicerina e pigmento, flutuando como um grande mundo cuja forma constitui uma paisagem real em movimento. Um Objeto-livro é o trabalho seguinte, que também produz sua própria direção: numa inclinação de 30 graus, pranchas imensas de papel artesanal que se prolongam por todo o espaço do local.
"Obra coletiva"
Esse percurso leva à obra Constelações, que dá nome à mostra. Ela é uma "obra coletiva", com a participação de 2.500 jovens alunos de escolas públicas da Grande Vitória, que marcaram no trabalho dez mil nomes de pessoas que apresentam relação afetiva em suas vidas. Produzida em papel artesanal colorido sobre tecido transparente, as caligrafias são refletidas por espelhos em toda a extensão do teto.
“Nessa exposição, as constelações se formam pela reunião de nomes, caligrafias, memórias e afetos, dores e alegrias. A suposição é de que será possível a reconfiguração de rememorações e reminiscências perdidas. E cada instalação é representada por seus atributos, símbolos de memória e reconstrução, que implicam reviver conteúdos que estão na base da construção da nossa identidade”, enfatiza a curadora Neusa Mendes.
Inspirada em “Noite Estrelada”, de Van Gogh, ”Constelações” vem sendo produzida desde abril. Com uma equipe composta pela psicanalista Ruth Ferreira Bastos, o educador Laércio Ferracioli e a curadora Neuza Mendes, Hilal promoveu workshops para os diretores e professores de sete escolas da rede estadual de educação de Vitória e Região Metropolitana. Durante os encontros, o artista falou sobre a experiência com a arte, da “Constelação” e da evocação da memória pessoal ou coletiva, articulando a noção de identidade.
Num segundo momento, foram realizadas oficinas de papel artesanal – trapos macerados que trazem as marcas do tempo e são parte indissociável da plástica de Hilal – com alunos. Os nomes foram praticamente desenhados: o papel macerado foi injetado em bisnagas como as de confeiteiros, de onde brotaram as caligrafias dos participantes.
“Em cada nome há uma recordação, uma marca. Há vida. Me sinto feliz na realização de um trabalho coletivo, em poder aproximar os jovens da arte, em ter a chance de, quem sabe, contribuir para modificar as suas perspectivas de futuro”, confessa Hilal.
A exibição vai até o dia 6 de novembro e o evento é aberto ao publico. A curadoria é de Neusa Mendes, pesquisadora e crítica de arte da Universidade Federal do Espírito Santo/UFES, e a produzida pela 4 Art Produções Culturais.
SERVIÇO
Exposição Constelações – Hilal Sami Hilal
Curadoria: Neusa Mendes
Inauguração: 4 de agosto de 2016, às 18h30.
Visitação: de 5 de agosto a 10 de janeiro de 2017
Local: Espaço Cultural do Palácio Anchieta, Praça João Clímaco, 142 – Centro, Vitória.
Tel.: (27) 3636-1032, 3636.1019
Horário de funcionamento: de terça à sexta, das 9h às 17h; sábado, domingo e feriados – das 9h às 16h.
Entrada franca